Indústria deve vender 168 milhões de dispositivos vestíveis em 2019


Os fabricantes de dispositivos vestíveis vão terminar 2014 com cerca de 19 milhões de unidades vendidas. Entre os produtos que compõem esta categoria estão os relógios e pulseiras inteligentes. O número é mais de três vezes maior que o registrado em 2013. Até 2019, a categoria deve crescer, em taxas compostas, 54,7% ao ano, segundo a Berg Insight, consultoria responsável por relatório sobre o setor, divulgado hoje (17). Significa que, naquele ano, serão vendidos 168,2 milhões de unidades de wearables. De acordo com a Berg, os dispositivos vão se conectar, na maior parte das vezes, por bluetooth, mas 16,6 milhões de aparelhos terão tecnologia celular embutida.

Os aparelhos de fitness (pulseiras) serão os mais vendidos neste ano, com 13 milhões de unidades. As principais fabricantes serão Fitbit, Jaxbone e Garmin, mas LG, Huawei, Microsoft, Samsung, Sony e Xiaomi também terão seu quinhão. “Esta é uma categoria jó com uma concorrência feroz. Preços em queda farão com que o rastreadores de atividade física e saúde sejam 42 milhões dos vestíveis vendidos em 2019”, prevê Johan Svanberg, analista sênior da Berg Insight. 

A consultoria chama atenção também para o segmento de relógios, já com participação de Sony, LG, Motorola, Asus, Pebble e Samsung. “É a segunda principal categoria de wearables, cujas vendas devem saltar em 2015 com lançamento do Apple Watch e da próxima geração de Android”, diz o analista.

Já os óculos inteligentes devem se consolidar como terceiro segmento mais relevante, embora suas vendas sejam para mercados de nicho, como aplicações corporativas e médicas. “A maior parte dos produtos ainda é experimental, mas esperamos alguns exemplos bem-sucedidos nos próximos anos”, conclui. (Com assessoria de imprensa)

 

Anterior TIM acaba com ofertas de internet ilimitada
Próximos 5G vai demorar mais que o 4G para emplacar, prevê ABI Research