Indústria de transmissão sugere validação do padrão de rádio digital


A indústria de transmissão propôs a criação de um grupo de referência para validar tecnicamente o padrão de modulação de Rádio Digital, com testes em IBOC, DRM, ISDB e outros. A proposta foi sugerida pelo diretor Executivo do Grupo RF/Telavo, Jakson Alexandre Sosa, que participou da audiência pública da Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação …

A indústria de transmissão propôs a criação de um grupo de referência para validar tecnicamente o padrão de modulação de Rádio Digital, com testes em IBOC, DRM, ISDB e outros. A proposta foi sugerida pelo diretor Executivo do Grupo RF/Telavo, Jakson Alexandre Sosa, que participou da audiência pública da Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT), do Senado, para discutir a implantação de Rádio Digital no país.

De acordo com Sosa, o grupo seria constituído pelas indústrias de transmissão e recepção, Anatel, Minicom, membros da academia e outros participantes do Fórum de Rádio Digital. O executivo disse que o processo seria realizado em um prazo de 90 dias, a partir de agosto, e seriam convidados todos os consórcios proprietários de tecnologias de modulação existentes mundialmente.

Na proposta da Indústria, a validação técnica se daria com a implantação de equipamentos de fabricação nacional, numa estação piloto em AM e FM, em uma localidade que reúna uma situação de espectro de freqüência congestionada. Esses testes avaliariam o desempenho de propagação e inter-modulação perante outros sinais de rádio.

Segundo Sosa, a proposta teria como objetivo a criação de uma referência técnica à decisão brasileira e, conseqüentemente, referendaria as negociações sobre o custo de propriedade intelectual e transferência de tecnologia.

Escolha do padrão

Do ponto de vista da indústria de transmissão, o padrão digital deveria contemplar a escolha de uma tecnologia de modulação que atenda o problema de uso de espectro de freqüência com a menor banda possível, sendo que a tecnologia escolhida deve ser disponibilizada ao menor custo e benefício, atendendo a realidade brasileira.

Anterior Edital da 3G vai levar o celular para cidades com menos de 30 mil habitantes
Próximos Novo edital do WiMAX pode sair em breve