Indústria avança. Graças ao mercado interno.


Há muito não acontecia: o mercado interno foi a salvação da lavoura, ou melhor, da indústria eletroeletrônica, em 2007. Graças ao aumento da renda, do emprego, da oferta de crédito em condições favoráveis – e da redução dos juros. A análise é da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica – Abinee, que anunciou hoje, …

Há muito não acontecia: o mercado interno foi a salvação da lavoura, ou melhor, da indústria eletroeletrônica, em 2007. Graças ao aumento da renda, do emprego, da oferta de crédito em condições favoráveis – e da redução dos juros. A análise é da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica – Abinee, que anunciou hoje, 6 de dezembro, os resultados do ano e as projeções para 2008.

Além disso, assinala a entidade, a indústria sentiu os efeitos positivos do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento, com seus múltiplos investimentos setoriais (construção civil, saneamento, energia elétrica), e das ações para disseminação da tecnologia da informação, “apesar das aplicações dos respectivos recursos previstos não terem sido totalmente realizados”. O volume de negócios deste ano cresceu, mas com preços comprimidos, em virtude do acirramento da concorrência internacional, agravada pela desvalorização do dólar que, na média, segundo a entidade, poderá chegar a 10,5%.

Essa expansão do mercado doméstico, porém, não impediu a expansão do déficit setorial: as importações avançaram 20%, para US$ 23,7 bilhões, as exportações permaneceram no mesmo patamar de 2006 – US$ 9,2 bilhões, o que, em reais, significou redução de 11%. Assim, o déficit de US$ 14,4 bilhões foi 38% maior do que o registrado em 2006.

Anterior Eletroeletrônicos: faturamento cresceu 8% em 2007, diz Abinee
Próximos Componentes, ainda o gargalo.