Inatel, TIM, Ericsson e startups querem fazer de Santa Rita do Sapucaí uma cidade inteligente


A TIM e o Inatel revelaram nesta semana detalhes do projeto de internet das coisas habilitado pelo BNDES no começo do ano para receber financiamento estatal. O projeto prevê a implantação de soluções inteligentes para iluminação, segurança e rastreamento de veículos.

A ideia é transformar Santa Rita do Sapucaí (MG) em uma cidade inteligente, usando rede NB-IoT. Após a execução, a ideia é ele seja replicado também nas cidades de Caxambu (MG) e Piraí (RJ).

Participam da empreitada ainda a fornecedora Ericsson e as startups Pixel, Das Coisas, Fractum e Laager.

De acordo com Marcelo Goldenstein, engenheiro do BNDES, o projeto foi selecionado e habilitado, mas ainda precisa cumprir diversos requisitos e ser submetido à aprovação da Diretoria. Após a liberação dos recursos, que deve ocorrer dentro de seis meses, a instituição terá 24 meses para disponibilizar as aplicações.

Etapas

“O primeiro passo será conectar os postes da cidade para criar uma rede cobrindo todo o município. Com isso, será possível habilitar os serviços inteligentes de iluminação. Na sequência, serão instaladas câmeras de segurança em todos os postes”, explica o gerente de Desenvolvimento de Negócios do Inatel, Leandro Guerzoni.

Com o ambiente preparado, será possível depois implantar outras tecnologias, como soluções de identificação facial e estacionamento inteligente . “Portanto, a intenção é que o projeto induza o surgimento de novas soluções que atendam às necessidades do município”, acrescenta.

A iniciativa integra as ações do Inatel Smart Campus, que tem como uma de suas finalidades estender os resultados das pesquisas realizadas dentro da instituição para a comunidade. O novo projeto dará sequência ao projeto experimental que ocorreu no passado, quando o Inatel instalou 18 câmeras de monitoramento na cidade.

As ações irão estimular ainda o desenvolvimento das startups do Vale da Eletrônica, como a Fractum, fabricante de soluções em RF. Segundo o empresário André Leite, a expectativa com este projeto é bem alta, pois poderá abrir novos mercados para a empresa além de trazer inúmeros benefícios para a população. “Poder beneficiar nossa cidade com a nossa tecnologia é um dos nossos grandes orgulhos. Empregar nossa tecnologia no sistema de iluminação pública permitirá implementar diversas outras ações futuras de IoT” ressaltou.

“A TIM acredita que a Internet das Coisas é um dos pilares da reinvenção digital dos modelos de negócio, habilitando modelos mais eficientes e destravando novas oportunidades de negócio”, explica Janilson Bezerra, head de Innovation & Business Development da TIM Brasil.

“Com a população já conectada através dos celulares, nosso foco nesta parceria será em permitir que a nova geração de dispositivos se utilizem da mesma conectividade fornecida pelas operadoras para trazer benefícios tanto às municipalidades, quanto aos cidadãos, que poderão usufruir de mais segurança e organização”, diz Leandro Nobre, CTO da Ericsson para a TIM.

Realizada em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Comunicações (MCTIC), a chamada do BNDES recebeu 53 planos de projetos-piloto, dos quais 15 foram selecionados e receberão aporte de 50% do valor total do projeto. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Qualcomm ganha ação contra Apple nos EUA
Próximos Governo trabalha para aprovação do PLC 79 no fim deste semestre

1 Comment

  1. Nelson Abranches Bilange
    20 de Março de 2019

    A Prefeitura poderia aproveitar o ensejo e dotar a cidade com sinalização de trânsito horizontal e vertical.