Imprensa faz greve na Itália contra “lei da mordaça”


Uma greve nacional dos profissionais de comunicação que pretende deixar a Itália nesta sexta-feira (9) sem jornais, sites e programação nas rádios e TVs. Intitulado “Dia do Silêncio”, o ato é um protesto contra a “Lei da Mordaça”, projeto encabeçado pelo primeiro-ministro Silvio Berlusconi que proíbe a divulgação de escutas telefônicas pela mídia. No entendimento …

Uma greve nacional dos profissionais de comunicação que pretende deixar a Itália nesta sexta-feira (9) sem jornais, sites e programação nas rádios e TVs. Intitulado “Dia do Silêncio”, o ato é um protesto contra a “Lei da Mordaça”, projeto encabeçado pelo primeiro-ministro Silvio Berlusconi que proíbe a divulgação de escutas telefônicas pela mídia. No entendimento do primeiro-ministro, a norma beneficia a intimidade dos cidadãos, informa a agência AFP.

O protesto de um dia foi decretado pela Federação Nacional de Imprensa para impedir que o Parlamento aprove a lei que limita o uso de escutas telefônicas e sua publicação. A lei foi aprovada em 10 de junho passado pelo Senado italiano e agora deverá passar por uma nova leitura na Câmara de Deputados. O presidente italiano pode vetá-la como inconstitucional, mas tudo indica que deve assiná-la assim que possível.

A lei limita o tempo de uma escuta a 75 dias, prorrogáveis a cada três dias. O projeto, contudo, foi criticado pela oposição de esquerda e principalmente a magistratura, que considera que essa lei afeta a luta contra a máfia, baseada em sofisticados esquemas de escuta. Em caso de violação, os donos dos jornais deverão pagar multa de até 464 mil euros e os jornalistas podem ser condenados a até 60 dias de prisão.(Da redação, com agências internacionas)

Anterior Anatel multa Telefônica em R$ 13,7 milhões por atrasos em reparos
Próximos Febratel vê riscos ao emprego na proposta do governo para regular terceirização de serviços