IDEC quer guarda de logs atrelada ao marco civil da internet


Não são apenas as operadoras privadas que estão acusando a Anatel de ter ultrapassado os seus limites legais em vários das exigências previstas nos regulamentos da qualidade da banda larga e do Serviço de comunicação Multimídia (SCM), cujas consulta públicas acabaram no sábado. O IDEC – Instituto de Defesa do Consumidor -, por outras razões que não as das empresas privadas, também acusa a agência de estar “extrapolando sua função regulatória”. Para o instituto, a Anatel não tem poderes para estabelecer prazos de guarda de logs. Conforme a proposta da Anatel, as operadoras grandes devem guardar os dados cadastrais de seus usuários de internet por três anos, e as pequenas, por dois anos. O projeto de lei enviado pelo governo ao Congresso, conhecido como Marco Civil da internet, propõe um ano.

O instituto elogia, porém, a proposta de garantia mínima de velocidade na internet, mas alerta que o regulamento da Anatel ainda tem algumas lacunas, no que se refere ao cumprimento do decreto do call center. Defende também medidas de maior segurança para impedir que sejam compartilhados ou vendidos os bancos de dados e registros dos clientes. E pondera que as metas de atendimento não podem ser diferenciadas por porte da empresa.

Ilegalidade

Já a ProTeste argumenta que a Anatel não poderia publicar qualquer regulamento de SCM, visto que, no entender da entidade, este serviço não existe e só poderia ser criado por decreto presidencial, em regime público. No caso das metas de qualidade, a ProTeste argumenta que as operadoras privadas não têm do que reclamar visto que o governo teria atendido “todos os seus pleitos” na negociação do PGMU III. O Intervozes, por sua vez, também defendeu a criação da banda larga em regime público, visto que hoje ele só existe em regime privado. 

Leia aqui as propostas de regulamento do SCM e da qualidade do SCM

Anterior Fazenda defende neutralidade da rede mas condena metas de velocidade da banda larga da Anatel
Próximos Apple pode deixar de usar chips da Samsung em seus aparelhos