Ideal para pequenas cidades


{mosimage}A facilidade de instalação e a flexibilidade da tecnologia Wi-Fi permitem que a capacidade de tráfego de informação seja rapidamente aumentada em função de nova demanda. Tudo isso de forma radicalmente mais simples que em uma rede equivalente

As redes Wi-Fi (Wireless Fidelity) são uma excelente opção para prefeituras que querem disponibilizar acesso a internet para toda comunidade, ou empresas que precisam de conectividade e mobilidade para seus funcionários, sem o incômodo dos cabos para conexão à rede.

Elas também permitem comunicação em pequena, média e longa distância, tornando-se um recurso precioso e de baixo custo para integrar sistemas, possibilitando a criação de um canal de comunicação para trafego de dados, voz, imagem, etc. As redes Wi-Fi, em geral, são associadas ao uso de pontos de acesso em ambientes fechados ou em áreas abertas com cobertura limitada. Os pontos de acesso Wi-Fi são projetados para distribuir o sinal de forma aberta, gerando um campo coberto com um raio de ação definido a uma distância de até 15 km, com uma taxa de transferência máxima de 54 Mbps.

A facilidade de instalação e a flexibilidade da tecnologia Wi-Fi permitem que a capacidade de tráfego de informação seja rapidamente aumentada em função de nova demanda. Tudo isso de forma radicalmente mais simples que o aumento do número de pontos físicos em uma rede equivalente, porém cabeada.

PUBLICIDADE

Por sua vez, a tecnologia WiMAX (IEEE 802.16), promete levar acesso de alta velocidade aos pontos mais remotos, geralmente chamados de “last mile”. A nova tecnologia  propõe velocidades mais altas (até 124 Mbps) e  o mais importante, cada antena deste sistema amplia seu raio de ação dos 15Km citados para 70Km , não precisando de visada direta.

Mas nem tudo relacionado a WiMAX está claro. De acordo com especialistas, os impulsionadores da tecnologia WiMax (Intel, Nokia, NEC) não chegaram a um acordo sobre as especificações de um padrão que permita certificar os equipamentos. Isto, somado a outras questões, atrasa, encarece e inviabiliza a adoção dessa tecnologia para pequenos municípios de topologia plana, como é o caso de Sud Mennuci.

Atendimento
Em nossa cidade, que tem 7.500 habitantes, gastamos R$ 5.800 mensais para oferecer banda larga (link de 4 megabits por segundo) para quase a totalidade da população.Hoje atendemos 450 residências, mas, em pouco mais de um ano, esse número saltará para 700 casas.

Isso tudo, com uma torre e quatro antenas repetidoras. Mesmo com alguns obstáculos físicos (morros), o serviço tem ótima performance. A população mais pobre, que não tem condições de ter um computador em casa, acessa a internet em telecentros, como o da biblioteca municipal, que conta com 10 desktops.

Atendemos também três escolas, duas do município e uma do estado – que também servem de ponto digital para a comunidade. Nossa experiência tem influenciado outras cidades. Em Duas Barras, no Rio de Janeiro, mesmo com a topografia montanhosa, instalamos uma rede Wi-Fi há 60 dias, que já atende à população local, de cerca de 12 mil habitantes.   


Chefe da Divisão de Informática da Prefeitura de Sud Mennucci

Anterior A universalização e os postos de serviços
Próximos Após oferta pública de EILD, as concorrentes começam a fazer as contas