IBM e Visa querem fazer de qualquer coisa conectada um ponto de pagamento


Imagem: Camila Sipahi, baseado em Freepik
Imagem: Camila Sipahi, baseado em Freepik

A IBM e a Visa anunciaram hoje, 16, parceria pela qual pretendem transformar quase todos os objetos conectados em potenciais pontos de cobrança (POS). A colaboração prevê o desenvolvimento de soluções que unem a plataforma de inteligência artificial Watson IoT aos serviços de pagamentos e tokenização da Visa.

As empresas explicam o acordo com um exemplo, o dos carros conectados.  Segundo elas, quando a tecnologia estiver implementada e disseminada, o motorista será alertado se a garantia ou licenciamento do carro estivesse quase vencendo ou se a data de substituição de uma peça estivesse próxima. Com essa informação, a pessoa poderia comprar as peças tocando em um botão, ou programar uma revisão na oficina de sua preferência. Poderia até pagar o combustível por meio de uma interação direta entre o carro e a bomba de gasolina.

Não foi revelado nenhum detalhes financeiro desse acordo, nem foram especificadas datas para que novos serviços sejam lançados. A parceria faz parte, porém, de estratégia da IBM para disseminar o uso do Watson na internet das coisas, um plano que deve consumir US$ 3 bilhões, US$ 200 milhões dos quais já consumidor em um centro de desenvolvimento na Alemanha. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Mais de 65% dos pequenos provedores estão enquadrados no Simples
Próximos GSMA cria diretório de big data para desenvolvedores IoT

2 Comments

  1. Sabrina Vasconcelos
    17 de Fevereiro de 2017

    Parece otimo mas qualquer ser pensante sabe como esse tipo de tecnologia sera usada contra o cidadao,”este veiculo nao ira se movimentar pois o mesmo possui debitos nao pagos” fiquem vendo governos do mundo babando por tecnologias como essas,apenas para ferar com as pessoas eu dei apenas um exemplo mas se vc tem imaginacao sabe bem o horror que isso pode ser.

  2. Reginaldo
    18 de Fevereiro de 2017

    Cada dia mais escravizado seremos e por nós mesmos porque aceitamos tudo é lutamos por nada.