Huawei prepara-se para o vídeo everywhere


A Huawei apresentou ontem, 16, em Londres, as cinco grandes iniciativas para o setor de telecomunicações acelerar sua transformação digital. A empresa também aprovou plataformas abertas para possibilitar colaboração. Anunciou ainda soluções  para 4.5G, Internet das Coisas (IoT — Internet of Things), vídeo 2K/4K e Cidade Segura (Safe City).

A fabricante prevê um mercado potencial de vídeo no setor de $ 100 bilhões e um mercado de nuvem empresarial de $ 1 trilhão. O número de conexões da Internet das Coisas deve crescer 10 vezes.  As cinco Grandes Iniciativas são: Grande video – Em todos os lugares (Big Video — Everywhere), Grande TI — Capacitadora (Big IT — Enabling), Grande Operação — Ágil (Big Operation — Agile), Grande Arquitetura — Elástica (Big Architecture — Elastic), Grande Condutor — Ubíquo (Big Pipe — Ubiquitous).

“A transformação digital é um novo mecanismo para propulsionar o crescimento do setor de telecomunicações e também irá potencializar a inovação de outros setores”, disse em Londres o diretor executivo do Conselho e CSMO (chief strategy marketing officer) da Huawei, William Xu. “A Huawei continuará a abrir recursos de plataforma para ajudar as operadoras a desenvolver um ecossistema aberto, colaborativo e de ganho mútuo para o setor, a fim de acelerar a transformação digital”.

Laboratórios abertos

Com seus parceiros, a Huawei está instalando laboratórios abertos para inovação conjunta, para dar suporte ao rápido uso comercial de novos serviços. Mais de dez laboratórios abertos na China, Europa e outras regiões reuniram mais de 600 parceiros. Para os desenvolvedores, a Huawei desenvolveu a plataforma eSDK, que disponibiliza ferramentas de desenvolvimento flexíveis, fáceis de usar, e serviços de suporte. A empresa também lançou um Programa de Capacitação de Desenvolvedores (Developer Enablement Program) de $ 1 bilhão, para criar um ambiente propício para a inovação.

A Huawei desenvolveu soluções de plataforma aberta para vídeo 2K/4K, que agrega conteúdo e possibilita a inovação em serviços de vídeo. Na computação em nuvem, a prioridade da Huawei é trabalhar com as operadoras de telecomunicações para fornecer serviços de nuvem. A estratégia de nuvem da Huawei é desenvolver um ecossistema de nuvem aberta em conjunto com seus parceiros: a Huawei irá se focar no desenvolvimento de IaaS (infraestrutura como serviço), habilitação de PaaS (plataforma como serviço) e agregação de SaaS (software como serviço), para capacitar nossos parceiros na criação de alto valor, orientada por aplicação e baseada em dados.

Durante o  Congresso Mundial de Comunicações Móveis (MWC — Mobile World Congress), a Huawei irá exibir suas soluções de 4.5G, IoT, Cidade Segura, etc., que podem ajudar as operadoras de telecomunicações e empresas globais a promover a inovação ágil, a transformação acelerada e o sucesso empresarial na era digital.

O padrão 4.5G irá garantir taxas de dados de largura de banda móvel de 1.000 Mbit/s, possibilitando a disponibilidade de voz em HD, vídeo 2K/4K e experiências de realidade virtual em qualquer lugar. O padrão 4.5G também viabilizará a IoT, o que tornará nossas vidas mais inteligentes e ajudará as operadoras de telecomunicações a expandir para mercados do setor. O GigaRadio, um dos principais produtos da Huawei lançados neste ano no MWC, é uma tecnologia fundamental para o 4.5G. O GigaRadio será disponibilizado em grande escala para comercialização em 2016 e irá ajudar a acelerar a adoção global do padrão 4.5G.

De acordo com as previsões, até 2025 haverá quatro bilhões de novos usuários de banda larga, mais de 100 bilhões de coisas estarão conectadas digitalmente e o consumo de dados por pessoa irá aumentar em mais de 500 vezes. O mundo digital e o físico estão convergindo rapidamente. E os consumidores estão exigindo a experiência ROADS (Real-time, On-demand, All-online, DIY, and Social — tempo real, a pedido, tudo online, faça-você-mesmo e relações sociais) como uma nova norma. ( assessoria de imprensa). 

 

Anterior “Apoio ao empreendedorismo é vital para enfrentar as transformações”, diz Amos Genish
Próximos Serviços de telecom fecham no vermelho em 2015, aponta IBGE