Huawei contesta resultado do pregão da Telebrás


 

A Huawei recorreu da decisão do pregão nº 5/2010, que declarou vencedora a empresa Medidata para fornecer a solução de rede de comunicação de dados, em protocolo IP/MPLS, para o core IP da rede da Telebrás, que será usada para implementar o Plano Nacional de Banda Larga.

No recurso administrativo, encaminhado hoje (6) para o pregoeiro João Santana, a Huawei contesta os argumentos do pregoeiro, que desclassificou a empresa por questões técnicas, e pede a desclassificação da Medidata alegando que seus equipamentos não atendem a requisitos do edital.

No leilão, a Huawei ofertou o menor preço, R$ 53 milhões, enquanto o último lance da Medidata foi R$ 60,598 milhões, mas na análise do processo, o pregoeiro entendeu que em vários itens licitados os equipamentos da Huawei não atendiam aos requisitos do edital. É o caso, por exemplo, da capacidade de switching dos roteadores NE40E-X16. Já na ata do pregão eletrônico, o pregoeiro  aponta que há “inconsistência de informação entre as documentações apresentadas”, fazendo referência a capacidade de 400 Gbit/s alegada pela Huawei. No recurso, a Huawei diz que sua desclassificação decorreu de equívoco do pregoeiro; assegura que seus equipamentos suportam a capacidade exigida e os coloca à disposição para testes.

Como se trata de um recurso administrativo, a expectativa é de que ainda este mês a questão esteja resolvida. A Medidata tem até o dia 11 para apresentar seus argumentos e o pregoeiro até o dia 18 para fazer sua análise.

Anterior Virgílio Almeida deve ocupar a Secretaria de Política de Informática do MCT
Próximos Contribuições ao novo edital do Gesac serão recebidas até amanhã