Huawei contesta novas acusações dos EUA


Gigante desafia o governo americano a tornar públicas evidências de que seus equipamentos tenham backdoors, diz que desavenças por patentes são comuns no mundo atual e ressalta que a Apple tem quase 3x mais processos por violações de propriedade intelectual.

A gigante chinesa de tecnologia Huawei contestou hoje, 14, as acusações feitas ontem pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos de que estaria envolvida em práticas criminosas. A empresa afirma que a acusação tem por objetivo prejudicar sua reputação e carecem de fundamentos.

“Esta nova acusação constitui parte do objetivo do Departamento de Justiça dos EUA de provocar danos na reputação e nos negócios da Huawei por razões competitivas em vez de legais. As novas acusações carecem de fundamento e estão baseadas principalmente em disputas cíveis recicladas dos últimos 20 anos que já foram resolvidas, litigadas e, em alguns casos, recusadas por juízes e júris federais”, afirma a Huawei, em comunicado enviado ao Tele.Síntese.

Ontem, o governo norte-americano ampliou as acusações de práticas ilegais por parte da fabricante. Reiterou que a gigante teria burlado embargos que vedam o fornecimento de tecnologia para Irã e Coreia do Norte e alegou que teria roubado segredos industrias de empresas americanas.

Em vídeo publicado nas redes sociais, o vice-presidente global de comunicações da Huawei, Song Kai, acusou os EUA de tentar produzir uma cortina de fumaça, uma vez que nesta semana o jornal Washington Post revelou como a CIA, a unidade de inteligência dos EUA, comprou uma empresa de criptografia que fornecia tecnologia para diferentes países, e a usava para cometer atos de espionagem.

O executivo lembrou que a Huawei é signatária de organismos globais de padronização de equipamentos e segue exigências de qualidade e segurança operadoras de todo o mundo, e portanto não teria interesse em acrescentar backdoors em seus equipamentos. Ele desafio os americanos a tornarem públicas quaisquer evidências de que os equipamentos têm backdoors, ou seja, mecanismos que permitam a interceptação deliberada dos dados trafegados em uma rede.

Em uma nota publicada no site global, a Huawei rebate também as acusações de roubo de segredos industriais. Afirma que no mundo atual são comuns as disputas por patentes, e ressalva que a Apple, por exemplo, é alvo de 596 processos, enquanto a Samsung é alvo de 519, enquanto a própria Huawei foi processada por isso 209 vezes. A afirma não diz, porém, em quantos casos cada empresa foi condenada.

“Nenhum de nossos produtos ou tecnologias foram criados a partir de segredos roubados. São fruto de um investimento gigantesco em P&D e trabalho duro”, afirma o comunicado.

Anterior Telecom Argentina vai usar Nokia como integradora de IoT
Próximos Entidades veem avanços na proposta do edital 5G, mas querem alterações