HP decide liberar software móvel webOS a outras empresas


A Hewlett-Packard decidiu abrir seu sistema operacional móvel webOS a programadores e companhias, buscando ganhar força para enfrentar a plataforma gratuita Android, do Google, popular entre fabricantes de celulares.   A HP, que adquiriu o webOS ao assumir o controle da Palm por US$ 1,2 bilhão, em 2010, vem tentando descobrir como recuperar esse investimento, …

A Hewlett-Packard decidiu abrir seu sistema operacional móvel webOS a programadores e companhias, buscando ganhar força para enfrentar a plataforma gratuita Android, do Google, popular entre fabricantes de celulares.

 

A HP, que adquiriu o webOS ao assumir o controle da Palm por US$ 1,2 bilhão, em 2010, vem tentando descobrir como recuperar esse investimento, após uma incursão fracassada no segmento de smartphones e tablets. Meg Whitman, presidente-executiva da HP, disse que a empresa estava estudando diversas opções para o webOS, entre as quais, fechar ou vender a divisão.

 

A companhia oferecerá o webOS sob um acordo de licenciamento de fonte aberta, mas ainda não definiu os termos do contrato que planeja oferecer. Alguns projetos de fonte aberta podem ser usados como exemplo para definir a estrutura de licenciamento, entre eles, o Android e o navegador Firefox, da Mozila.

 

A empresa planeja solicitar sugestões a programadores antes de decidir quanto aos termos de licenciamento, disse Whitman. “Nós gostamos da adoção do Android. Ele vem crescendo velozmente junto a uma grande comunidade de programadores e fabricantes de hardware”, afirmou a executiva, acrescentando que a HP gostaria de evitar a fragmentação de software que prejudica o Android no momento.

 

Whitman também disse que a HP pode voltar ao mercado de tablets em 2013, mas que não fabricará novos celulares inteligentes. O futuro do webOS está em aberto desde agosto, quando a HP cancelou o tablet TouchPad, que seria o principal produto de sua linha webOS, devido às baixas vendas. (Reuters)

Anterior Siemens lança no Brasil tomada com entrada USB
Próximos Venda de licença de 4G também é preocupação na Europa