Hélio Costa desiste de candidatura e fica no Minicom


O ministro das Comunicações, Hélio Costa, afirmou hoje, 27, que deverá continuar no Ministério até quando o presidente Lula quiser. Costa praticamente desistiu de se candidatar ao governo de Minas porque a manutenção da regra da verticalização o impediu de formar, no estado, uma aliança com os partidos que estão na base de apoio a …

O ministro das Comunicações, Hélio Costa, afirmou hoje, 27, que deverá continuar no Ministério até quando o presidente Lula quiser. Costa praticamente desistiu de se candidatar ao governo de Minas porque a manutenção da regra da verticalização o impediu de formar, no estado, uma aliança com os partidos que estão na base de apoio a Lula (PT, o PTB e o PL) para enfrentar Aécio Neves (PSDB), que deverá confirmar amanhã ser candidato à reeleição.

“A minha permanência depende mais do presidente do que de mim. A minha decisão é de ser ou não candidato; e não sendo candidato, evidentemente permaneço no cargo enquanto o presidente quiser. Em princípio, fico no ministério”, disse o ministro. Costa deverá se encontrar com o presidente até quarta-feira para tratar de política e de TV digital.

Segundo Costa, sem a possibilidade de formar uma aliança partidária em Minas, fica muito difícil atrair os partidos para uma composição política porque eles estão sendo levados a apoiar Aécio Neves, que tem um alto índice de aprovação naquele estado, tendo chances, inclusive, de ganhar a eleição no primeiro turno.

Costa afirmou que, nas negociações políticas, jamais exigiu que o PMDB encabeçasse uma chapa para disputar o governo de Minas. “Sempre disse que qualquer candidatura minha ao governo de Minas só partiria de uma grande aliança, não posso fazer uma aventura isolada, isso já fiz duas vezes e perdi. Se nós não tivéssemos a verticalização e tivéssemos essa aliança no estado, eu não teria a menor dificuldade em disputar a eleição”, afirmou.
Palocci

Sobre a saída do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci, que entregou sua carta de afastamento do cargo hoje, Costa lamentou a maneira como o ex-ministro vem sendo acusado de envolvimento com recebimento de propinas. “Pegaram um assunto que eu entendo puramente pessoal, tudo isso me deixa muito preocupado com essa maneira de acusar as pessoas, de jogá-las no turbilhão, no meio de acusações. Lá na frente, se não fica provado nada, perde o país porque perdeu um ministro competente”, comentou Costa.

Anterior Na TV sobre IP, conteúdo é o x da questão.
Próximos Queda de Palocci não afeta rating do Brasil