Harris fecha acordo com Paraná para fabricação de rádios


A Harris do Brasil assinou ontem com o governo do Paraná um convênio para a produção de rádios e tecnologias de missão crítica. Pelo documento, a Harris se enquadra no programa Paraná Competitivo, que prevê redução de ICMS, entre outros benefícios, para produção local.

A empresa investiu R$ 6,6 milhões em uma fábrica em Curitiba, e terá um terceiro de Pato Branco fabricando as placas dos rádios. A iniciativa gerou 100 contratações, entre funcionários da Harris e do terceiro. O foco da empresa, no momento, será oferecer produtos para o setor de segurança, como polícia e forças armadas. As fábricas produzirão mais de 15 mil rádios/ano, e os primeiros rádios serão entregues já neste mês de julho.

Os rádios integram a unidade de negócios de Comunicações em RF, responsável por produtos de comunicações seguras por meio de rádio comunicação e de uma diversificada gama de soluções para organizações militares, governamentais e privadas, com produtos que vão da mais avançada rede de voz e dados IP, a rádios móveis e portáteis de banda simples e multi banda.

“O desenvolvimento e produção de tecnologia no Brasil é um passo importante para garantir a continuidade de nossa expansão na região”, observa Reinaldo Rezende, presidente da Harris Brasil. A Harris tem operações fabris nos Estados Unidos, Canadá, Europa, Ásia e agora inicia a produção no Brasil. Tem cerca de 14 mil empregados, incluindo 6 mil engenheiros e cientistas, e o seu faturamento em 2013 foi de US$ 5,1 bilhões.

Os planos da empresa são de ampliar rapidamente a gama de produtos. Os rádios devem se tornar apenas uma parte de soluções de segurança que envolvem, entre outras coisas, reconhecimento facial, de veículos, dispositivos de comando e controle, integração entre rádios de missão crítico e celulares, e até estruturas LTE privadas.

“A fabricação dos rádios faz com que a gente tenha abertura para pesquisa e investimento. Nos últimos quatro anos, a gente multiplicou em 400% nosso faturamento local”, afirma Eduardo Kamigauti, gerente geral da área de segurança pública e comunicação profissional da Harris, se referindo a sua área.

Anterior CEEE, concessionária de energia elétrica do RS, moderniza infraestrutura tecnológica
Próximos Rússia quer obrigar empresas a guardar dados em data centers locais