Hamburgo, na Alemanha, vai investigar Facebook


Com a entrada em vigor da nova Lei de Proteção de Dados Pessoais da União Europeia, no dia 25 de maio, a expectativa de analistas e reguladores é que a situação se complique para o Facebook na Europa. O comissário de Proteção de Dados de Hamburgo, na Alemanha, Johannes Caspar, notificou hoje, 20, o Facebook por escrito de que ele havia aberto uma investigação sobre suspeita de abuso de dados.

O processo foi aberto quase um mês depois de o Facebook ter admitido o vazamento de dados pessoais de 87 milhões de usuários para uma empresa de assessoria política,  Cambridge Analytica, que assessorou a equipe de Donald Trump. O caso, segundo a agência Reuters, pode levar a uma multa de até 300 mil euros (US$ 370 mil).

É bem verdade que o valor da multa é simbólico frente ao faturamento bilionário do Facebook. Mas a notícia da investigação mereceu a manifestação de porta-voz da empresa, sobre seu compromisso com a proteção de dados dos usuários. Até porque representantes de partidos alemãos não saíram satisfeitos com as explicações apresentadas por representantes da empresa em audiência fechada sobre o vazamento dos dados para a Cambridge Analytica.

Embora a eleição parlamentar da Alemanha em setembro foi tenha sido menos afetada pela disseminação de “notícias falsas” do que a votação presidencial nos EUA, em 2016, quando Donald Trump conseguiu uma impressionante vitória, o sentimento reinante é de que as explicações do Facebook não foram suficientemente claras sobre a coleta de dados por meio de seus aplicativos.

O processo de Hamburgo pode ser só o começo. (Com noticiário internacional)

Anterior Anatel autoriza TIM e Vivo a usarem frequências uma da outra para atender metas rurais
Próximos TV digital: 9 milhões de famílias brasileiras já retiraram o kit gratuito