A localização dos usuários de internet tem pouco impacto nos seus hábitos de uso em termos de serviços e dispositivos. Em vez disso, os consumidores dão mais importância para a liberdade de usar dispositivos digitais como e onde quiserem para suprir suas necessidades. É o que aponta a pesquisa da Ericsson, que estuda o comportamento do internauta. “As pessoas tendem a mudar de telas e dispositivos para acessar serviços e conteúdos em localizações diferentes, independentemente de tempo e de espaço”, sustenta o relatório.

Segundo o levantamento, essa tendência de realizar diversas tarefas independentemente da localização – seja em ambientes internos, como em casa, no trabalho ou na escola, ou em ambientes externos – é bastante vista nos 23 países estudados. Por exemplo, 89% dos consumidores no Brasil, Canadá e Estados Unidos usam a internet; 83% acessam redes sociais na Argentina e no Uruguai; e 77% verificam e-mails na Dinamarca, Alemanha, Itália, Rússia e no Reino Unido, semanalmente, utilizando qualquer dispositivo.

“Nossa pesquisa mostra que 12% dos trabalhadores que usam internet fazem compras online no trabalho várias vezes por semana e 23% realiza atividades relacionadas ao trabalho durante a noite. Outra observação importante é que, quando o número de locais onde as pessoas fazem as tarefas aumenta, também aumenta o número de dispositivos que elas usam”, Julia Casagrande, especialista do ConsumerLab da Ericsson para América Latina e Caribe.

“Os consumidores têm uma grande preferência por conexão em ambientes internos”, explica Julia. “Apesar de avaliarem muito bem suas experiências, os consumidores gostariam de investir na melhoria da conectividade interna. 56% dos entrevistados estão dispostos a gastar mais para que essa melhoria ocorra, enquanto apenas 33% gostariam de fazer o mesmo para ambientes externos”. Nos países da América Latina, 40% pagariam mais por uma rede móvel de qualidade.(Com assessoria de imprensa)