GVT lucra R$ 113,5 milhões no semestre


A GVT fechou o segundo trimestre com alta de 41,3% da receita em comparação com a obtida em igual período do ano anterior, chegando a R$ 573,4 bilhões. O Ebitda ajustado (resultado antes dos juros, imposto de renda, depreciação e amortização) foi de 51,5% alcançando R$ 236,7 milhões. O lucro líquido do exercício fechou em R$ 81 milhões, o que representa um crescimento de 15,3% ante os R$ 70,288 milhões do mesmo período de 2009. Já a margem Ebitda é a mais alta registrada pela empresa desde a sua fundação – 41,3%.

No semestre, a receita líquida da GVT atingiu R$ 1,087 bilhão, um aumento de 39% em comparação com o mesmo período do ano passado. O Ebitda ajustado fechou com elevação de 49,3% sobre o mesmo semestre do ano anterior, fechando em R$ 444 milhões. Já a margem Ebitda no semestre é de 40,8%, comparada a 38% no mesmo período do ano passado. E o lucro líquido alcançou R$ 113,5 milhões na primeira metade do ano, 17,8% maior que os R$ 96,293 milhões do mesmo período de 2009.

Segundo a companhia, o crescimento no segundo trimestre foi impulsionado pelo recorde na adição de linhas à base de clientes, com destaque para os serviços de banda larga com velocidades iguais ou maiores que 10Mbps. Entre abril e junho de 2010, foram adicionadas à base de clientes 345 mil novas linhas (54,3% a mais que no segundo trimestre de 2009) sendo 117 mil de banda larga (113,4% a mais que no mesmo período do ano passado). A empresa atingiu 3.463 milhões de linhas ao final de junho e penetração de 84% de banda larga na base de clientes. Entre os clientes de banda larga, 56% utilizam velocidades de 10Mbps ou mais contra 21% no mesmo período de 2009.

A GVT informa que lidera o processo de portabilidade com uma relação de 11 novos clientes para cada um que cancelou os serviços no segundo trimestre. De acordo com os dados da companhia, desde o início do processo, 567,6 mil linhas de telefonia fixa foram adicionadas à base de clientes, o correspondente a 61% do total de portabilidades realizadas nas cidades onde a empresa está presente até junho de 2010.

O investimento da operadora no trimestre chegou a R$ 283,7 milhões, o dobro do realizado no mesmo período de 2009. Em junho, a GVT anunciou o início das operações em São Paulo, a partir das cidades de Sorocaba e Jundiaí. Juntos, os municípios somam aproximadamente 1 milhão de habitantes e são os primeiros no Estado a receber a GVT. A empresa ingressará ainda este ano em cinco novas cidades.

Em julho, a GVT anunciou nova revisão no valor a ser investido em 2010, que chegará a R$ 1,5 bilhão até dezembro. E com base nos resultados acumulados deste ano, a empresa revisou a projeção de crescimento. A expectativa é terminar 2010 com uma receita 34% maior que 2009, em torno de R$ 2,3 bilhões. O Ebitda ajustado deverá aumentar 44%. A GVT é controlada pelo grupo francês Vivendi e tem capital fechado. (Da redação)

Anterior Embratel amplia oferta pública para compra de ações da Net
Próximos Rádio Educativa vai testar padrão digital europeu