GVT ainda não se pronunciou sobre oferta da Telefônica


A GVT ainda não se pronunciou sobre a oferta pública para a compra da companhia pela Telefônica, de acordo com comunicado enviado ao mercado. Segundo fontes ligadas à empresa, a oferta que é considerada “hostil” – já que não foi previamente acertada entre os controladores das duas empresas – embora esperada, ainda está sob avaliação …

A GVT ainda não se pronunciou sobre a oferta pública para a compra da companhia pela Telefônica, de acordo com comunicado enviado ao mercado. Segundo fontes ligadas à empresa, a oferta que é considerada “hostil” – já que não foi previamente acertada entre os controladores das duas empresas – embora esperada, ainda está sob avaliação do conselho de administração. “A direção da empresa ficou sabendo da oferta pelo comunicado da Telefônica enviado à Comissão de Valores Mobiliários e à Bolsa”, disse uma fonte.

A Telefônica informou que a oferta pública será feita ao preço de R$ 48 por ação o que totaliza um valor aproximado de R$ 6,5 bilhões, caso seja concretizada a aquisição de 100% das ações. Há um mês, a Vivendi apresentou oferta amigável no valor R$ 42,00 por ação equivalente a R$ 5,4 bilhões pela totalidade das ações da empresa.

As negociações entre a GVT e a Vivendi estavam bastante adiantadas e as duas empresas chegaram a protocolar o pedido de anuência prévia da operação na Anatel no dia 1º deste mês.  Mas a operação ainda aguarda a aprovação formal das assembléias de acionistas dos grupos controladores das duas empresas. A da Vivendi está marcada para o próximo dia 16, e a do Swarth Group and Global Village Telecom (Holland) BV, controlador da GVT no Brasil, está prevista para novembro.

A GVT abriu seu capital em fevereiro de 2007, com ação no valor de R$ 18,00. Após a oferta da Vivendi há um mês, o valor do papel, que já estava valendo R$ 40,00 deve ter tido valorização ainda maior.

Anterior Telefônica faz oferta de R$ 6,5 bilhões pela GVT
Próximos TelComp vê benefícios na compra da GVT pela Telefônica