Grupo Telefónica cria unidade global de “consumo digital”


O grupo espanhol Telefónica avisou na semana passada que deu mais um passo em sua iniciativa de reestruturação interna, iniciada em novembro. O conglomerado criou uma nova divisão, chamada Unidade Global de Consumo Digital, que será comandada pelo hacker Chema Alonso (foto), então responsável pela estratégia de dados e inteligência cognitiva da companhia.

A nova unidade terá como objetivo transformar e acelerar processos de venda de produtos e serviços. Também ficará encarregada de aperfeiçoar a relação da companhia com o consumidor, tonando o consumo mais digital, rápido e eficaz.

PUBLICIDADE

Além disso, a unidade sob comando de Alonso vai desenvolver produtos e serviços totalmente digitais, para casas conectadas, e com base na “quarta plataforma” – a enorme base de dados detida pelo grupo sobre a qual funciona a Aura, sua inteligência artificial.

Outras ações da nova unidade serão a criação de redes de colaboração com demais unidades da companhia e a  gestão do programa de inovação aberta, termo usado para designar a iniciativa Wayra de fomento a startups.

O organograma da unidade de Consumo Digital terá Chema Alonso no topo. José Parada será CISO, enquanto Olvido Nicolás o responsável pelo Marketing. Haverá ainda responsáveis por segmentos, como em serviços de entretenimento, inovação estratégica e lar digital.

A criação da nova unidade faz parte da estratégia da Telefónica anunciada em novembro, que previa o foco do grupo em quatro mercados-chave (Espanha, Brasil, Reino Unido e Alemanha), a criação da Telefónica Tech, focada em big data e Iot, nuvem e cibersegurança, a criação da Telefónica Infra, para extrair valor de ativos de rede; o spin-off da unidade Hispam (que reúne as subsidiárias da América Latina, com exceção do Brasil), e, por fim, a reorganização da sede corporativa.

Anterior Goldentree vendeu fatia na Oi de olho em revisão do plano de RJ, avalia Bradesco BBI
Próximos Empresas e governo opinam sobre Sandbox Regulatório para testar novos serviços financeiros