Grandes prestadores regionais apostam em mais investimentos para conquistar mercados


Salvador, 27 – Os grandes ISPs apostam em investimentos em rede como estratégia de negócios para os próximos anos. É o caso da Aloo Telecom, que já dispõe de 29 mil km de fibra óptica que atende a 14 estados do Nordeste e Sudeste, e que projeta a construção de infraestrutura na região Norte.

Recentemente, a operadora concluiu a rede de Salvador, com 2,4 Tbps, com capacidade de entrega no dia seguinte, afirmou o presidente da operadora, Felipe Cansanção (foto). A empresa está presente em 28 datacenters, tem 80 Pops de alta capacidade com nove saídas de backbone.

Segundo Cansanção, não fosse o empreendedorismo dos ISPs o Brasil hoje estaria no abismo. “Ainda existem buracos negros sem fibra óptica, o que garante a permanência dessas empresas no mercado”, disse. Cansanção participou, nesta sexta-feira, 27, do INOVATic Nordeste & ISP Business.

A Mob Telecom, no mercado há 23 anos, também aposta na expansão da rede, que já soma 20 mil km. A conselheira da empresa, Daniele Bayde, informou a implantação de novas rotas a partir de Fortaleza, outras de Salvador, além de trechos em Pernambuco e Goiânia.

A Mob atua em diferentes verticais. Para atender  ao varejo, já abriu 18 lojas, no entendimento de que os clientes preferem o atendimento preferencial. A empresa tem 35 mil assinantes diretos e 300 mil indiretos e atende em todos estados do Nordeste, Rio, São Paulo e Goiânia.

O diretor da Werilink, Vanderson Santana, questiona a necessidade de investimentos em redes de transportes, uma vez que há sobreposição de infraestrutura. Mas pondera que ainda falta muito investimento na rede metropolitana.

Para ele, os debates devem migrar para a camada de serviços mais complexos, para atender às demandas da sociedade.

O diretor da Core3 Tecnologia, Carlos André Oliveira, aposta em gestão e regularização para crescer de forma sustentável. O ISP de Feira de Santana (BA), soma 14 mil clientes em sete anos de funcionamento, com rede de mil km de fibra óptica. “Nossa meta é chegar a 30 mil clientes em 2022”, afirmou.

O CEO da ITS Brasil, Daniel Landim, também defende a regularização das empresas para manter a credibilidade no mercado. Com 15 anos de existência, a empresa atende só a clientes corporativos e é reconhecida pela busca da excelência. “Nós já regularizamos o uso de 44 mil postes na Bahia”, disse.

Segundo Landim, a dificuldade dos provedores regionais é a busca de investimentos para serem competitivos, já que atuam em um mercado de capital intensivo. “Precisamos crescer sem perder o contato com o cliente, já que esse é o diferencial competitivo dos ISPs”, afirmou.

Anterior Cesar Mattos prega solução rápida para aluguel de postes sob pena de impactar o avanço da IoT no país
Próximos Raabe: O lado oculto do 5G