Grã Bretanha deve arrecadar mais de 3,5 bilhões de libras com venda de faixa para 4G


 

O leilão de frequências da 4G na Grã Bretanha, que começou na semana passada e deverá durar vários dias, irá render para os cofres do Tesouro inglês muito mais do que o preço mínimo estipulado, estimam  analistas. O preço mínimo de venda das bandas de 1,8 GHz e de 2,6 GHz foi estabelecido em 1,36 bilhão de libras. As estimativas são de que seja arrecadado mais de 3,5 bilhões de libras.

 

Além dos operadoras que já atuam no país – EE, Hutchinson 3G UK (com o nome fantasia de Three), Telefonica UK (a O2) e a Vodafone, os analistas apontam para o ingresso de novas empresas, como a subsidiária da BT, a Niche Spectrum Ventures, a HKT UK, subsidiária da telco de Hong Kong PCCW; e a MLL Telecom.

 

A Inglaterra não conseguiu lançar esta tecnologia para as Olimpíadas deste ano, mas no final de 2012 a Ofcom acabou autorizando a EE a reutilizar o seu espectro de 2G para a 4G, o que provocou reações  de seus competidores, mas não mudou a dcisão da agência britânica. O leilão de agora foi montado para permitir que quatro empresas tenham frequências em todo o território. E, segundo a agência reguladora,  é um dos preços mais baratos da Europa, justamente porque não quer encarecer o serviço para o usuário final. ( Da redação).



Anterior 4G deve ultrapassar 150 milhões de clientes em 2013
Próximos Ministério da Fazenda sugere que Anatel compare diferentes metodologias antes de implantar replicabilidade