Governo vai criar regras para uso de computação em nuvem por órgãos públicos


O governo criou um comitê para definir questões ligadas à segurança, privacidade, interoperabilidade como forma de regulamentar o uso da computação em nuvem pelos órgãos públicos, informou o secretário de Política de Informática, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, Virgílio Almeida. O objetivo, diz ele, é criar normas internas para aquisição desse serviço, que cada dia ganha mais espaço, com a proliferação dos dados gerados.

Almeida ressaltou que a computação em nuvem começa a ser testada pelo MCTI já em setembro, após instalação dos datacenters da Rede Nacional de Ensino e Pesquisas (RPN), em Recife e Manaus. Nessa primeira etapa serão prestados serviços de apoio as atividades de pesquisa e educação.

Segundo Almeida, as regras valerão apenas para a nuvem pública, mas é possível que o exemplo seja capaz de alavancar a atividade de computação na nuvem também no setor privado. O secretário da Sepin participou nesta terça-feira (12) de evento promovido pela Brasscom sobre economia digital, computação em nuvem, privacidade e proteção de dados, em Brasília. Outros debatedores apontaram a falta de uma legislação de proteção de dados pessoais e dificuldades de conexões como entraves para que o serviço avance no país.

Anterior Ancine mantém posição firme quanto à exigência de cotas de conteúdo nacional na TV paga
Próximos MiniCom privilegiará projetos compartilhados na concessão de desoneração de redes