Governo oferece aplicativos para municípios do programa Cidades Digitais


Os 80 municípios que participam da primeira etapa do programa Cidades Digitais já podem usar softwares desenvolvidos para as áreas de gestão tributária e patrimonial, saúde, educação e transparência. Os aplicativos disponibilizados pelo Ministério das Comunicações estão hospedados na página do Serpro.

Os aplicativos são todos baseados em software livre e foram desenvolvidos por diferentes entidades como a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), a Universidade Federal do Paraná (UFPR) e o Serpro. Para ter acesso aos programas, as cidades devem responder a um ofício enviado pelo MiniCom manifestando interesse nos aplicativos que mais atendam as necessidades do município.

Por meio dos softwares, os moradores das cidades podem acessar online serviços como a marcação de consultas médicas, consulta a informações de alunos de rede pública e a obtenção de documentos. Já o município pode organizar a gestão de recursos e pessoal, além de publicar informações na internet para cumprir a Lei de Acesso à Informação.

PUBLICIDADE

Para a coordenadora-geral de Infraestrutura para Inclusão Digital do MiniCom, Eloá Mateus, o acesso aso serviços públicos pela internet é uma parte importante do Cidades Digitais para promover a inclusão digital. “Quando você provê serviços que vão trazer benefícios concretos para as pessoas, elas se veem mais envolvidas com a vida digital, um mundo mais atual”, afirma.

Cidades Digitais

Criado em 2012, o programa Cidades Digitais consiste na construção de uma rede de fibras ópticas para conectar órgãos públicos dos municípios, na capacitação de servidores públicos e disponibilização de aplicativos para modernizar a gestão e o acesso a serviços.

As 80 cidades do projeto-piloto estão na fase final de implantação da rede. Em 2013, com a inclusão do programa no PAC 2, outras 262 cidades foram escolhidas para receber a iniciativa.(Da redação, com assessoria de imprensa).

Anterior BNDES adere ao Sistema de Pagamentos Brasileiro
Próximos Tarifas de rede móvel e fixa vão cair a partir de 2016. VU-M reduz 90% até 2019