Governo libera multiprogramação na TV aberta para ações educacionais


As emissoras de TV que operam com a tecnologia digital poderão utilizar o recurso da multiprogramação, desde que transmitam conteúdo específico destinado às atividades de educação, ciência, tecnologia, inovações, cidadania e saúde, com fins exclusivamente educacionais ou de exploração comercial, em razão da pandemia do coronavírus. Para ter direito a transmissão em até quatro canais, a emissora deve celebrar convênio ou instrumento congênere para o estabelecimento de parceria com a União, os estados, o Distrito Federal e os municípios.

No conteúdo educativo, a emissora somente poderá inserir publicidade institucional, sendo vedada a propaganda comercial. Mas as obrigações relativas à organização da programação aplicáveis às outorgadas de serviço de radiodifusão de sons e imagens, deverão ser cumpridas individualmente em todas as faixas de programação, inclusive quanto ao percentual mínimo destinado à transmissão diária de serviço noticioso.

A utilização do recurso de multiprogramação será comunicada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações no prazo de 30, contado da data do seu início, acompanhada de cópia do convênio ou do instrumento congênere celebrado para o estabelecimento de parceria. Esses convênios serão automaticamente suspensos no prazo de 12 meses, enquanto dura a possibilidade de uso do recurso da multiprogramação, previsto no decreto publicado sábado, 4, em edição extra do Diário Oficial da União.

PUBLICIDADE
Anterior Vivo inicia parcelamento em 10 vezes para inadimplentes
Próximos Fake news liga coronavírus ao 5G