Governo e operadoras acertam aumento de velocidades no programa Banda Larga nas Escolas


 

Os ministros Paulo Bernardo, das Comunicações, e Aloizio Mercadante, da Educação, e as operadoras de telefonia fixa e móvel se reuniram, nesta quarta-feira (12), para tratar do aumento das velocidades de acessos à internet disponíveis nas instituições urbanas de ensino público, atendidas pelo Programa Banda Larga nas Escolas. O objetivo é preparar as escolas para o novo programa do MEC, que prevê a distribuição de 600 mil tablets para os professores já neste semestre.

 

Atualmente, as conexões, que iniciaram com velocidade de 1 Mbps, em 2008, passaram para 2 Mbps em 2011 em todas as escolas, independentemente do número de alunos. Segundo Paulo Bernardo, os acessos são insuficientes naqueles colégios de maior porte. Além disso, para atender ao programa de tablets do MEC, será necessário a instalação estruturas de wi-fi. Ele afirmou que as operadoras se comprometeram a atender a nova demanda de banda, que deverá ser implantada no início de 2013.

As novas capacidades, porém, serão definidas após o mapeamento que o MEC fará sobre o tamanho das escolas que serão atendidas. Serão contempladas no primeiro momento as 18 mil escolas de ensino médio, que serão beneficiadas com a distribuição de tablets para professores ainda neste semestre.

Tablets

O objetivo do projeto Educação Digital – Política para computadores interativos e tablets é oferecer instrumentos e formação aos professores e gestores das escolas públicas para o uso intensivo das tecnologias de informação e comunicação (TICs) no processo de ensino e aprendizagem. O projeto compreende o computador interativo – equipamento desenvolvido pelo MEC que reúne projeção, computador, microfone, DVD, lousa e acesso à internet, e o tablet.

A Positivo e a Digibras venceram a licitação do ministério, que pagará entre R$ 150 milhões a R$ 180 milhões pelos equipamentos. A Positivo ganhou três lotes. Dois para fabricação de tablets de 10 polegadas com preços unitários de R$ 461,99 e R$ 462,49 de acordo com a configuração. A empresa também venceu um dos lotes das máquinas de 7 polegadas, oferecendo preço por unidade de R$ 276,99. A Digibras, empresa ligada à CCE Info, ficou com um dos lotes de tablets de 7 polegadas, oferecendo preço unitário de R$ 278,90.

As concessionárias de telefonia fixa já conectaram mais de 60 mil escolas públicas urbanas desde 2008. O programa Banda Larga nas Escolas é considerado uma das maiores ações  de inclusão digital do mundo.

 

Anterior Telefônica divulga plano de ação para melhorar serviço de celular
Próximos Ericsson será fornecedora de rede IP na Colômbia