Governo e empresários vão agilizar debates sobre desoneração de folha


O Ministério da Fazenda e empresários acertaram nesta quarta-feira (4) a formação de grupos de trabalho sobre tributos, defesa comercial e energia, com o objetivo não só de aumentar a competitividade dos produtos brasileiros, mas também como forma de conter a inflação. “A desoneração de folha e a alta da energia encarecem muito o custo da produção, afetando assim a produtividade, então é muito importante esse debate para encontrar soluções que atendam todos os setores”, disse o presidente da Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica Eletrônica), Humberto Barbato.

A decisão foi tomada na reunião do Grupo de Acompanhamento da Produtividade (Gac), realizada hoje no Ministério da Fazenda. Segundo Barbato, essas providências são necessárias para socorrer alguns dos setores, como de bens de capital, que estão passando dificuldades. No caso da indústria eletrônica, a valorização do real reduz o preço do produto.

“A discussão sobre a desoneração de folha, que já vem sendo travada há algum tempo, será agilizada porque esta é uma questão importantíssima para tornar o produto brasileiro mais competitivo”, disse Barbato. Ele alerta que, se nada for feito, a pressão inflacionária externa que atinge o setor empresarial, em função dos componentes e matérias primas, a reindexação de preço, o que alimenta a inflação.

Durante a reunião, o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, e o ministro da Educação, Fernando Haddad, apresentaram o Pronatec, programa de financiamento para treinamento de mão de obra quelificada, que é considerado um gargalo no país.
 

Anterior Presidente da TIM defende criação de consórcios para construir backbone
Próximos Saem nomeações para a Secretaria de Inclusão Digital do Minicom