Governo diz que gasta menos com telecomunicações para Copa que o previsto


O secretário executivo do Ministério das Comunicações, Cezar Alvarez, disse nesta sexta-feira (28) que o governo federal espera implantar toda rede de telecomunicações para a Copa do Mundo de 2014, por menos de R$ 200 milhões, como orçado inicialmente. Até agora, foram gastos R$ 90 milhões com os serviços.

“Seguramente, gastaremos abaixo de R$ 200 milhões. O quanto será – se é [menos de] 1%, 10% ou 15% – ao final da Copa, não sei dizer. Em tese, podemos baixar mais ainda. Temos expertise, sabemos contratar, haverá mais competição, e as redes estarão mais maduras, mas não arriscaria [um percentual], é uma previsão”, disse ele, que participou do balanço das telecomunicações na Copa das Confederações, no Rio de Janeiro.

De acordo com o secretário, a implantação de serviços de internet e transmissão de dados está adiantada, faltando apenas a linha para Manaus. Nesses serviços, o país já investiu R$ 60 milhões, incluindo as seis cidades – Brasília, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife e Fortaleza – que receberam a Copa das Confederações. Os serviços abrangem, por exemplo, estádios, aeroportos e áreas de hotel e devem ser expandidos.

Nesta semana a Câmara cancelou a dotação de R$ 43 milhões concedida ao Ministério das Comunicações para o fornecimento de infraestrutura de telecomunicações e para a transmissão de vídeo e transporte de dados durante a Copa das Confederações 2013 e a Copa do Mundo 2014. Os recursos seriam repassados para a Telebras, responsável pela construção dessa rede de banda larga de alta capacidade para os grandes eventos esportivos.

Falhas

Ao participar da entrevista à imprensa no Centro Aberto de Mídia, o presidente da Telebras, Caio Bonilha, informou que, dos 25 mil quilômetros de rede de fibras previstos, 10 mil já foram instalados, dentro das especificidades “rígidas” da Federação Internacional de Futebol (Fifa), de quem receberam elogio. “Isso nos coloca em outro patamar”, disse.

Perguntado sobre falhas nos serviços de internet móvel apontadas por torcedores durante as partidas da Copa das Confederações, o assessor da Anatel, Thiago Botelho, disse que foram pontuais e se devem, na maioria dos casos, à alta concentração de público em um mesmo espaço.

Na avaliação de Botelho, houve uma evolução da prestação de serviços de telecomunicações nos estádios, desde a primeira partida, em Brasília, até a disputa em Belo Horizonte. “Tivemos dificuldade no primeiro jogo, pelo desafio de atender a 80 mil pessoas e percebemos uma melhoria contínua”, disse ele, destacando que nenhuma operadora foi multada.(Da redação, com Agência Brasil)

Anterior Elemental Studio fecha parceria com Red Giant Entertainment para o desenvolvimento de games
Próximos Déficit da balança comercial de eletroeletrônicos sobe para 8%. Telecom cai 29,6%