Governo deve lançar consulta sobre política para Internet das Coisas em maio


Consulta Pública com um Plano Nacional de Internet das Coisas deverá ser lançada em maio, anunciou hoje, 30, o diretor de indústria, ciência e tecnologia do Ministério das Comunicações, José Gontijo, durante evento realizado pela Brasscom, em Brasília.

Imagem ilustra sensores administrados pelo novo computador para carros da nVidia em ação (Imagem: Divulgação nVidia)
Imagem ilustra sensores administrados pelo novo computador para carros da nVidia em ação (Imagem: Divulgação nVidia)

Segundo ele, em abril, a Câmara M2M – que reúne representantes da iniciativa privada, da academia e de diferentes órgãos do governo, coordenada pelo Ministério das Comunicações – deverá aprovar a minuta da consulta pública, para ser lançada em maio.

Nesse Plano Nacional de IoT, o objetivo é estabelecer metas para cada uma das verticais já escolhidas como prioritárias (agrobusiness, saúde, educação, etc.) e prazos para alcança-las. Mas não deverá haver nesse plano, afirmou ele, propostas de subsídios ou de desoneração fiscal, pois essas questões estão muito mais vinculadas às ações programáticas, que serão formuladas depois de aprovada a política geral.

BNDES

O BNDES lançou ontem, 29, uma chamada pública para que, em um ano, seja feito um amplo estudo sobre IoT. Como produto final, será entregue um plano de ação, com cronograma para cinco anos (2017 a 2022), que aponte objetivos, metas e ações a serem empreendidas.

Segundo Margarida Baptista, assessora da presidência do banco, a IoT deve ser compreendida sob a ótica de tecnologias habilitadoras. ” Se não queremos ser só consumidores de devices, precisamos mirar as tecnologias habilitadoras para gerar valor e emprego de alta qualidade no Brasil”, afirmou ela. Entre essas tecnologias, ela cita a banda larga, a microeletrônica, os sensores, os novos materiais (como o grafeno), o software, a cloud e big data.

Anterior BNDES lança nova linha de financiamento para infraestrutura
Próximos Base de TV paga de fevereiro regressa a 2014