Governo destina R$ 200 milhões para a Telebrás


O governo editou uma Medida Provisória que, entre outros, destina nada menos do que R$ 200 milhões para a Telebrás. Publicada em edição extra do Diário Oficial da União no dia 18 de dezembro, a Medida Provisória nº 405 abre créditos extraordinários no valor de R$ 5,455 bilhões para os mais diferentes órgãos da Administração …

O governo editou uma Medida Provisória que, entre outros, destina nada menos do que R$ 200 milhões para a Telebrás. Publicada em edição extra do Diário Oficial da União no dia 18 de dezembro, a Medida Provisória nº 405 abre créditos extraordinários no valor de R$ 5,455 bilhões para os mais diferentes órgãos da Administração Pública. Entre eles, está a destinação de R$ 200 milhões sob a forma de “participação da União no capital da Telecomunicações Brasileiras S.A”, a Telebrás.

Mesmo que essa quantia seja apenas suficiente para  cobrir o rombo da estatal, é sintomático que o governo esteja querendo sanear a holding ainda este ano, numa demonstração de que o projeto de criação da Infobrás estatal foi apenas adiado, mas não abandonado.   

Rombo
A Telebrás fechou 2006 com um prejuízo líquido de R$ 260 milhões e um passivo a descoberto (circulante e exigível a longo prazo) de R$ 139,4 milhões. As receitas da holding, em todo o ano passado, somaram apenas R$ 28,6 milhões, contra despesas de R$ 288,6 milhões.

O prejuízo de R$ 260 milhões registrado no ano passado foi provocado, principalmente, por uma derrota judicial da Telebrás frente a uma única empresa, no valor de R$ 195,6 milhões, ganha pela credora VTUM.

Antes de o governo acalentar o projeto de criação da Infobrás, a Telebrás só existia para manter os funcionários cedidos à Anatel e para arcar com os passivos judiciais das estatais que não foram incorporados na privatização. No ano passado, havia 812 ações judiciais contra a holding (441 trabalhistas, 370 cíveis e uma tributária).  

Anterior Oi lança plano de telefonia fixa com recarga
Próximos Encontros da Momento Editorial - 2008