Governo de SP quer mais startups pensando os serviços públicos


O governo paulista vai lançar na próxima quinta-feira, 17, um programa à cata de inovações para os serviços públicos. A intenção é fomentar a consolidação de startups e, ao mesmo tempo, canalizar o capital intelectual destas empresas nascentes para o desenvolvimento de ferramentas que melhorem o contato com o cidadão.

O Pitch Gov SP, como foi batizado o programa, será composto por mais de 30 desafios nas áreas de educação, saúde e serviços públicos ao cidadão (que inclui o Poupatempo, o programa de inclusão digital Acessa SP e o Fundo de Solidariedade Social). Será criado por um decreto do governador. O texto define os critérios para apresentação das soluções, análise e os testes dos produtos encaminhados por startups. Será lançado edital com procedimentos para inscrição, análise, avaliação e teste de soluções desenvolvidas pela iniciativa privada.

O projeto foi desenvolvido pela Secretaria de Governo, em parceria com a Prodesp, e a ABS (Associação Brasileira de Startups). E pode ganhar proporções maiores por meio da Desenvolve SP. O governo paulista estuda criar um novo fundo, voltado exclusivamente para apoiar startups que produzam soluções para melhoria dos serviços públicos.

Áreas
O Pitch Gov SP terá 17 desafios apenas para o segmento de Educação, que incluem desde informações básicas (como manter um cadastro atualizado de pais e alunos), até estratégias para avaliações em formato digital para mais de 4 milhões de estudantes; acompanhamento da formação de servidores; e meios para acesso digital a livros, revistas, produções estudantis e outras publicações aos alunos e familiares.

Outros dez desafios serão colocados na área de saúde, entre eles: como reduzir as fraudes no atendimento; como diminuir o número de abstenções em consultas ou procedimentos agendados em grandes cidades; e como obter um registro dos hábitos e acompanhamento clínico de pacientes (por exemplo, atividades físicas, alimentação e sono) para auxiliar na prevenção de doenças.

Na área de Serviços Públicos ao Cidadão, um dos desafios – para o Fundo de Solidariedade Social – será como aproximar os alunos qualificados nas escolas de formação das oportunidades de trabalho e futuros empregadores. Para o programa Acessa SP serão colocados três desafios: como o Acessa SP pode colaborar para que seus usuários consigam buscar e trabalhar as informações e ferramentas disponibilizadas na rede mundial de computadores para alcançar seus objetivos pessoais, profissionais e comunitários; como otimizar a utilização dos 852 postos do Acessa SP para acelerar potencialidades econômicas da comunidade, sobretudo em zonas rurais e de alta vulnerabilidade; e como contribuir para a motivação e formação do monitor, por meio do compartilhamento de informações, experiências, sugestões e aprendizados.

Anterior Investir em P&D é a saída para a retomada do crescimento, diz VP da Huawei
Próximos Projeto de lei federal pretende acabar com restrições ao Uber