Governo amplia lista de bens incentivados para fabricação de chips no Brasil


O governo editou decreto atualizando a regulamentação do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Indústria de Semicondutores (Padis) para incluir novos softwares e equipamentos que são usados na produção de chips e que passam a ter redução de tributos. Segundo o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, as atuações da SIX, em Minas, e Ceitec, no Rio Grande do Sul, apontaram a necessidade de novos insumos da produção entre os itens incentivados.

Além disso, o decreto flexibiliza a obrigação de as empresas credenciadas de investirem 5% do faturamento em pesquisa e desenvolvimento no país. Esse percentual cai para 3%, de 1º de janeiro de 2014 até 31 de dezembro de 2015; e para 4%, de 1º de janeiro de 2016 até 31 de dezembro de 2018. Mas volta para 5% a partir de 1º de janeiro de 2019 até o termo final de fruição das reduções previstas no programa. O investimento em P&D e o exercício das atividades devem ser efetuados de acordo com projetos previamente aprovados.

As novas regras foram publicadas na edição desta segunda-feira (26), do Diário Oficial da União.

PUBLICIDADE
Anterior Telcomp recorre ao STF contra lei da Paraíba de TV paga
Próximos Alcatel Lucent inaugura laboratório para rede de transporte IP no país