Governo altera procedimentos de pregão eletrônico


Os procedimentos para a realização de pregão eletrônico foram alterados pela Instrução Normativa nº 1, publicada pelo Ministério do Planejamento, que estabelece o prazo mínimo de duas horas para que as empresas participantes da licitação enviem os documentos complementares de habilitação no processo. A documentação pode ser entregue por fax ou outros meios de transmissão eletrônica.

 

A secretária de Logística e Tecnologia da Informação, Loreni Foresti, explica que a instrução vale para todos os órgãos e autarquias públicas que utilizem o Portal de Compras do governo federal, o Comprasnet, para realizar a aquisição de bens e serviços. “Agora temos uma regra fixa e transparente para padronizar os procedimentos, criada para evitar desclassificações que possam gerar infindáveis recursos ou outros prejuízos para a administração pública”, complementa a secretária. Antes da publicação da norma, o prazo era estabelecido pelo próprio pregoeiro.

 

Somente no último ano, o pregão eletrônico foi utilizado em 37 mil processos e respondeu por 60% do total de aquisições realizadas no período. O uso da modalidade nas compras e contratações públicas gerou uma economia de R$ 9,1 bilhões ao governo federal em 2013.

 

A instrução normativa entra em vigor em 30 dias.(Com assessoria de imprensa)

Anterior Com salto no lucro, Huawei quer inovação com foco para bater americanas
Próximos Oi convoca assembleia para aprovar Capex de R$ 5 bi