Google, Qualcomm e Samsung se unem para criar chip “livre”


Empesas aderiram à entidade RISC-V, que desenvolve um processador de código aberto que pode ser fabricado e usado sem necessidade de licenciamento, seria tão veloz quando modelos x86 e ARM, mas consumiria duas vezes menos energia.

Background image created by Xb100 - Freepik.com
Background image created by Xb100 – Freepik.com

Google, Qualcomm e Samsung são as mais novas associadas da iniciativa RISC-V, que prevê criar um processador “livre”, cujos design e códigos que o fazem funcionar são de acesso irrestrito. O chip terá diversos usos, entre os quais, carros conectados.

A expectativa é de que, se a iniciativa der frutos, o silício custe uma fração dos modelos atualmente usados. A associação foi criada em 2015 a partir de trabalhos da Universidade de Berkeley, nos Estados Unidos, já tem outras 100 empresas. Tesla, Western Digital e nVidia também aderiram ao projeto.

A entrada das empresas gera uma interrogação no mercado, uma vez que algumas obtém lucros justamente das receitas com licenciamento de arquitetura de chips. É o caso de Qualcomm. Ou da nVidia, que usa chips da ARM em certos produtos, ambas empresas investidas do grupo japonês Softbank.

Segundo a entidade, os processadores RISC-V, se bem implementados, podem são tão velozes quanto modelos x86 ou ARM, e poderiam consumir duas vezes menos energia que um similar ARM. (Com agências internacionais)

Anterior Governo do CE vai aumentar verbas para C&T
Próximos FCC vai diminuir subsídios à compra de equipamentos de fabricantes estrangeiros