Google manda mensagem ao governo brasileiro com mudança no serviço de DNS


A Google migrou seu serviço público de DNS de servidores do Brasil para os dos Estados Unidos no último dia 12 de setembro, justamente a data em que a presidente da República Dilma Rousseff anunciou sua intenção de requerer que empresas de internet guardem os dados de brasileiros em data centers no país – algo que pode ser concretizado caso a regra entre no Marco Civil da Internet, com votação prevista para quarta-feira. A mudança, apontada empresa de inteligência na internet Renesys no último dia 30, além de aumentar a latência do acesso para os usuários, é entendida como uma mensagem ao governo brasileiro: o gigante de buscas pode deixar de prestar serviços do país.  

“Ainda que a empresa não confirme, o redirecionamento do Google Public DNS para servidores fora do Brasil me parece uma mensagem clara ao governo brasileiro. A mensagem é ‘podemos sair do país'”, declarou ao TeleSíntese o pesquisador do Centro de Tecnologia e Sociedade da FGV Direito Rio, Pedro Mizukami. A mesma interpretação para o fato foi dada pela Renesys.

Entretanto, Mizukami salienta que “ainda é muito cedo para arriscar dizer se a Google vai, de fato, transferir outros serviços seus para o exterior, ou mesmo deixar de atuar no país caso o Marco Civil inclua normas obrigando a nacionalização de datacenters”.

O que um serviço de DNS faz é converter nomes de domínio em endereços IP. O Google Public DNS é um deles, mas existem outros, como o Open DNS, e os provedores de conexão podem oferecer outros, diferentes, mantidos por ele ou por terceiros. Para a Google, o serviço confere visibilidade do uso que os usuários fazem da rede que poderiam ser usadas, por exemplo, para melhorar aplicações comerciais, mas não há informações sobre quais informações o gigante guarda, nem como as utiliza. O fato é que se ela usa essas informações, o serviço poderia ser afetado por uma política de guarda de dados de brasileiros no país. 

Anterior Telefónica venderá operadora Checa por 2,5 bi de euros a bilionário
Próximos Marco Civil: Teles e Globo fecham acordo sobre a neutralidade da rede