Google lança chip para IoT com inteligência artificial embutida


O Google lançou hoje (25) em São Francisco (EUA)* um chip para equipar dispositivos de internet das coisas. Chamado Edge TPU, o chip pode ser embutido em dispositivos já existentes ou usado na fabricação de novos. O que ele faz é processar informações coletadas pelos dispositivos e aplicar modelos prontos de aprendizado de máquina para tomar decisões autônomas. Na foto, dois deles sobre uma moeda de 1 centavo de dólar.

Injong Rhee, vice-presidente de IoT dou Google Cloud explicou que o produto é focado em aplicações para empresas e smart cities. Poderá ser usado em câmeras nas cidades inteligentes para analisar o trânsito de veículos. Os chips seriam capazes de rodar modelos de machine learning que indicam se o tráfego está congestionado ou fluindo, por exemplo, na borda de rede. E remeter essa informação já analisada para a nuvem, explicou.

Outras aplicações possíveis seriam a telemetria do uso de água ou luz. Na indústria, os chips poderiam identificar anomalias na linha de produção. No setor automobilístico, as fabricantes poderiam colocar nos carros a capacidade de reconhecer movimentos perigosos e ativar reações de segurança.

Segundo o executivo, levar capacidade de processamento de análise de informações para a borda da rede é importante para tornar os dispositivos IoT mais eficientes em termos de uso de energia.

Para funcionar, eles se conectam com a nuvem do Google e são controlados via Cloud IoT Edge, o software de gerenciamento dos dispositivos, que entrega os modelos de machine learning para processamento na borda com as informações coletadas em tempo real.

O chip já está disponível hoje para fabricantes que equipamentos e é compatível com qualquer microcontrolador do mercado. Em outubro, o Google lançará seu próprio kit de desenvolvimento, com uma placa composta pelo Edge TPU, microcontrolador, entradas para cartão de memória USB entre outras características.

“Os lançamentos fazem do Google único provedor de serviços de nuvem com integração própria na nuvem, no hardware e na borda da rede”, ressaltou Rhee.

*O jornalista viajou a convite do Google

Anterior PL exige sigilo de dados de clientes das concessionárias de telecom
Próximos Google lança serviço de comunicação unificada