Google deve abandonar leilão de 700 MHZ


O Google pode ter desistido do leilão americano das freqüências de 700 MHz, controlado pela FCC (órgão regulador das telecomunicações no país), que está no 77º round e já arrecadou US$ 19,4 bilhões. Mesmo com uma oferta de US$ 4,7 bilhões pelo espectro de rede sem-fio do bloco C, de abrangência nacional e, posteriormente, dividido …

O Google pode ter desistido do leilão americano das freqüências de 700 MHz, controlado pela FCC (órgão regulador das telecomunicações no país), que está no 77º round e já arrecadou US$ 19,4 bilhões. Mesmo com uma oferta de US$ 4,7 bilhões pelo espectro de rede sem-fio do bloco C, de abrangência nacional e, posteriormente, dividido em 12 licenças regionais, o Google foi superado pelos seus prováveis oponentes, Verizon e AT&T.

Para alguns analistas, a desistência do Google, no entanto, não pode ser encarada como uma derrota para seus concorrentes. Isso porque mesmo que não consiga adquirir a licença, o gigante da internet já conseguiu que a FCC aprovasse a exigência para que o bloco C aceitasse todo o tipo de dispositivos e de softwares em sua rede. Portanto, mesmo fora do leilão, o Google continua na competição pelo mercado sem-fio, sem gastar um tostão para isso.
 
Especialistas avaliam que há grande probabilidade do leilão de 700 MHz não proporcionar um fornecedor nacional de rede sem-fio, devido à possível desistência do Google e à divisão das licitações, já que empresas que estão disputando uma banda não podem migrar para outra.

Pequenas companhias não tentaram comprar freqüências do Bloco C, pois pensaram que as grandes empresas conquistariam a banda nacional, portanto estão ofertando pelos demais blocos. Tal atitude inchou o leilão das bandas A e B, e supervalorizou seus preços.  

Os lances para o Bloco D estão estagnados e a licitação não deve ser fechada neste leilão. Embora ele possua abrangência nacional, quem comprar frequências do Bloco D deverá dividi-las com os serviços de emergência. (Da Redação, com noticiário internacional)

Anterior As celulares querem ganhar dinheiro com a TV móvel
Próximos Toshiba estuda retirar HD DVD do mercado