Golpe com WhatsApp irrita deputados


Está sendo conhecido como “golpe dos políticos”, porque já atingiu dezenas de parlamentares e autoridades do governo.  É um golpe que as redes sociais comentam desde 2016, mas agora os bandidos resolveram mirar em um público determinado. E, o pior, os deputados que tentaram buscar uma solução institucional, constatam que, na verdade, o cidadão brasileiro está completamente desprotegido.

O golpe começa com o bandido clonando o chip do usuário. E a primeira pergunta é: – como ele consegue clonar o número, se para habilitar uma linha em qualquer operadora de celular, é preciso apresentar vários  documentos?

Com o chip clonado, o bandido não vai usá-lo para falar, é claro, que ninguém mais faz isso, mas para entrar no WhatsApp. O problema é que o sistema de segurança do WhatsApp, para confirmar a identidade do usuário no novo chip, só manda um SMS  para o número registrado, ou seja, para o número de celular em posse do bandido.

E aí o cara faz a festa. Como ele já está autorizado pelo SMS, aparece na lista do WhatsApp com o número , a fotinho, ou qualquer outra identificação usual, para  os amigos, clientes, funcionários, filhos, pais, amores, todos os grupos que estão acostumados em trocar mensagens com o dono daquele número de celular. E aí, o golpista passa a pedir dinheiro emprestado, número da conta do banco, senhas de cartão. E, raramente, alguém diz não.., afinal, é você no WhatsApp.

A quem recorrer?

Um deputado que foi clonado – dizem que o ministro da pasta, Gilberto Kassab, também o foi- resolveu tomar as providências para saber a quem responsabilizar por essa violação de privacidade.

Foi à operadora de celular, que se isentou de responsabilidade pelo chip clonado.

Foi ao WhatsApp, e descobriu que a empresa não mantém um único representante legal no Brasil. Só conseguiu falar com  representantes do Facebook (dono do WhatsApp), mas que dizem ser  de empresas diferentes e, por isso, não poderiam fazer nada.

Pensou em recorrer à justiça, mas o problema é que o golpe ocorre aos que têm acesso ao seu WhatsApp, e não atinge diretamente titular do número do celular…, o que impede a ação judicial

Finalmente, foi ver como evitar pelo menos ter o seu WhatsApp clonado novamente, e aprendeu com uns nerds como fazê-lo.  Resolveu repassar ao Tele.Síntese para que mais pessoas se protejam.

Vai dar um pouco de trabalho por alguns dias, mas existe sim um jeito de fazer com que o WhatsApp passe a exigir uma senha caso um novo aparelho seja habilitado no seu número, evitando assim cair nesse golpe

Como se proteger:

O WhatsApp, por padrão, só valida o SMS que recebe no aparelho. A partir de agora, passe a habilitar a autenticação de dois fatores, para o sistema de mensagem .

Veja os passos:

 

 

 

 

 

 

 

Anterior Copa do Mundo: operadoras esperam aumento do consumo de vídeo no celular
Próximos Idec quer suspensão do decreto que criou o sistema de biometria eletrônica em SP

2 Comments

  1. 15 de junho de 2018

    Conhece aquela de “ladrão que rouba ladrão merece mil anos de perdão”? Pois é, não gosto nada do primeiro ladrão, mas gosto menos ainda do segundo, que prejudica e faz infinitamente mais mal ao país e ao povo que o primeiro.
    Portanto, pau na moleira de deputado, senador golpista, crápula. DANEM-SE!

  2. Thiago
    16 de junho de 2018

    A culpa é sim da prestadora, que habilitou a linha num chip sem conferir a documentação do solicitante.