GDF lança edital para serviços de WiFi público gratuito


Serão instalados 110 pontos em Brasília e cidades satélites em áreas públicas. Mas a velocidade mínima de download exigida no edital é só de 512 kps e o acesso é limitado a uma hora por usuário

foto: Aurea LopesA Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação, do Governo do Distrito Federal (GDF), lançou um edital de credenciamento de empresas interessadas em prestar serviços de WiFi público e gratuito em 110 pontos de Brasília e das cidades-satélites. Pela proposta, o Executivo local não terá despesas, e as operadoras serão remuneradas com a exibição de publicidade digital aos internautas no navegador e e também nas placas e postes de identificação do programa.

Poderão participar empresas ou consórcios. De acordo com o edital, não haverá exclusividade para o prestador em cada ponto, pois Brasília é uma das poucas capitais brasileiras sem WiFi público. “Podem ser duas pessoas jurídicas explorando o mesmo ponto, por exemplo”, explicou Gilvan Máximo, secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação.

A velocidade mínima efetiva de conexão deve ser de 512 kbps de download por usuário – a mesma definida pelo edital de WiFi gratuito da cidade de São Paulo, só que cinco anos atrás. O sinal deve cobrir, no mínimo, 50% das áreas de parques e centros educacionais e 70% das demais localidades listadas pelo GDF.

Cidade tecnológica

Áreas de grande fluxo de pessoas como a Rodoviária do Plano Piloto, estações de metrô, parques, feiras e hospitais serão contemplados. Os pontos foram escolhidos inclusive a partir de sugestões das administrações regionais com base no fluxo de cidadãos que transitam nas cidades.

As prestadoras de serviço deverão garantir o direito à privacidade, à neutralidade da rede e à proteção de dados pessoais. Para fazer uso do serviço, os usuários deverão fazer um cadastro com nome, e-mail, número de celular e CPF ou com o login de plataformas de redes sociais.

A qualidade do serviço será monitorada de perto pelo governo a partir da avaliação os usuários. As empresas com feedback negativo serão descredenciadas.

Uso limitado

O WiFi grátis será livre por apenas uma hora. Segundo o secretário, depois desse prazo, o usuário não vai precisar pagar para continuar conectado, mas o sinal ficará mais fraco. “A ideia é disponibilizar internet para o público de transbordo, que está de passagem pelo local, como a Rodoviária. Não é feito para a pessoa ficar baixando filme, por exemplo”, alertou o secretário.

A promessa do GDF é de fazer a entrega do sinal livre em até 100 dias, em áreas como rodoviária, Parque da Cidade, feiras, ônibus e metrô. “Os ônibus, por exemplo, já têm esse sistema disponível, só não estão ligados”, declarou o Máximo. Já a expectativa da equipe da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação é de que o projeto comece a funcionar em 50 dias no terminal rodoviário.

Anterior MCTIC quer multiplicar o número de startups
Próximos Nokia integra programa de WiFi do Facebook

Sem comentários

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *