Garcia:”Algar Telecom vai crescer com recursos próprios, pois há poucos investidores de longo prazo no Brasil”


(Crédito: Divulgação)
(Crédito: Divulgação)

“O setor de telecom brasileiro tem poucas empresas que aplicam a longo prazo. Os aplicadores ficam pressionando para as operadoras darem lucro todo o trimestre. Não dá certo”, afirma Luiz Alberto Garcia, presidente do Conselho de Administração da Algar Telecom. Por  muito tempo ele esteve à frente da operadora e de todo o grupo, quando diversificou a atuação para distintoss segmentos econômicos.  Sem papas na língua, faz aqui um balanço rápido do grupo e do setor. A empresa foi hoje homageada pela Câmara dos Deputados, pelos seus 60 anos de atuação.

São 60 anos atuando com operadora de telecomunicações. O grupo Algar tem muito a contar. Quais são os três principais acertos e erros?

Os acertos foram: acreditar, fazer com amor e  ter um fluxo de caixa positivo. E hoje em dia, está muito difícil, pois as necessidades são tão grandes….

 E como manter-se forte como um grupo regional, de capital nacional, neste mercado tão concentrador de capital?

Temos que voltar lá em 1954. O nosso concorrente era uma Canandese, a dona do pedaço. E depois veio a Telebras. Um dia cheguei a dizer que teríamos saudade da Telebras. Hoje a concorrência é muito maior.  O meu concorrente antes era brasileiro. Hoje tem concorrente italiano, português, espanhol, mexicano.  Vem de tudo quanto é lado.

 A Algar Telecom perdeu muito mercado na telefonia celular..

É perdemos bastante. Mas não pode esquecer que passamos por uma época em que o nosso CEO  quis vender a  operação de celular para pagar a conta e ficamos negociando quase um ano com um “artista”  queria comprar a nossa empresa. ( Refere-se à a Telemig Celular, controlada na época pelo banco Opportunity, Citibank e fundos de pensão estatais). E neste um ano de conversas, nós não trabalhamos no celular.  A concorrência entrou e nos comeu uma perna. Mas não tem problema, temos uma eternidade pela frente.

O sr. acha necessário a empresa buscar algum sócio estrangeiro ou procurar o mercado de ações para se capitalizar?

Não. O mercado de capitais é terrível. O Brasil tem poucos aplicadores de longo prazo. Os aplicadores ficam pressionando as operadoras a dar lucro todo o trimestre ou semestre. Não dá certo.

 E os próximos 60 anos?

Se esses primeiros foram tão fáceis, os próximos serão fichinha. (risos).

 

Anterior Algar Telecom quer dobrar a receita em cinco anos
Próximos Atraso pode comprometer sinal de celular no Itaquerão e Arena baixada