Fusão Oi-TIM: governo estará atento para evitar concentração, diz Figueiredo.


Mesmo sem entrar no mérito da possível fusão entre Oi e TIM, pré-condição para que o fundo russo Letter One faça um investimento na empresa de US$ 4 bilhões, o ministro das Comunicações, André Figueiredo, disse que uma das preocupações será criar mecanismos para evitar a concentração em algumas áreas do país.

“Vamos agir para evitar a concentração”, disse Figueiredo, em entrevista à imprensa, após sua apresentação no Futurecom 2015.
Perguntado se o elevado endividamento da Oi preocupa o governo, Figueiredo respondeu que pela capilaridade que a operadora tem no país ela tem que ser fortalecida. “O governo pode sim agir no sentido de fortalece-la o que não significa necessariamente fazer investimentos diretos”, esclareceu.

Cronograma

O ministro das Comunicações prometeu, na próxima semana, apresentar um calendário relativo às ações de curto prazo que têm que ser levadas à frente pelo ministério. Entre os temas urgentes, ele elencou a migração da TV analógica para a TV digital, das rádios AM para FM, a revisão da LGT e os contratos de concessão e o Plano Nacional de Banda Larga.

 

Anterior Rezende diz que há conflito aparente entre OTT e telecom. Ministro chama ao diálogo
Próximos Ministro das Comunicações sinaliza prorrogação do calendário da TV digital