Fusão BrT/Oi: Oferta de R$ 4,8 bi representa 60% de prêmio de controle.


  Embora não tenha sido formalizada à Solpart, controladora da Brasil Telecom, a oferta da Telemar/Oi por R$ 4,8 bilhões, conforme noticiaram hoje os jornais Valor Econômico e Folha de S. Paulo, acionistas e analistas já fazem as contas sobre a oferta, que entendem ser uma proposta bem razoável. Isso porque, a preços de mercado, …

  Embora não tenha sido formalizada à Solpart, controladora da Brasil Telecom, a oferta da Telemar/Oi por R$ 4,8 bilhões, conforme noticiaram hoje os jornais Valor Econômico e Folha de S. Paulo, acionistas e analistas já fazem as contas sobre a oferta, que entendem ser uma proposta bem razoável. Isso porque, a preços de mercado, a Brasil Telecom está valendo hoje quase R$ 14 bilhões e a oferta se dá por apenas 20% das ações que exercem o controle da operadora. Ou seja, a oferta representa um prêmio de controle de 60%.

A aquisição de 20% das ações, a preço de mercado, poderia ser feita por R$ 3 bilhões, e os demais R$ 1,8 bilhão significam o prêmio que a Telemar/Oi está disposta a pagar aos atuais controladores da Brasil Telecom (Citigroup e fundos de pensão) para efetivar a fusão.

O desembolso da compradora seria, no entanto, maior, já que os detentores de ações ordinárias, mesmo que não participem do bloco de controle, com a troca de comando, têm direito ao tag along – ou seja, podem receber 80% do valor pago aos controladores pela venda de suas ações.  

( Da Redação ) 

Anterior Fusão BrT/Oi: negociação estaria fechada, mas empresas negam.
Próximos No último ano, 41% dos entrevistados trocaram de operadora, aponta pesquisa.