Furukawa: Para fazer mais com menos


O produto da Furukawa destinado à construção de redes sob demanda ajuda a operadora a alcançar maior potencial de assinantes, sem necessidade de investimento total na rede óptica. E permite economizar 70% em relação aos gastos de uma rede convencional.

O Tele.Síntese está aos poucos publicando os textos produzidos para o Anuário Tele.Síntese de Inovação 2018, publicado no último trimestre. Abaixo, veja o caso da Furukawa, fabricante que ganhou o primeiro lugar no Prêmio Anuário Tele.Síntese de Inovação na categoria Fornecedores de Produtos.

Para fazer mais com menos

Por Anamárcia Vainsencher

Em tempos de falta de crédito no mercado e dinheiro escasso para atender às muitas necessidades de investimento na expansão da rede de banda larga por parte das pequenas operadoras de telecomunicações e provedores regionais, o pulo do gato está em criar soluções que barateiem levar a fibra óptica até a casa do cliente. Foi isso que fez a Furukawa Electric LatAm, ao projetar e desenvolver no Brasil, o EZ! Lux FTTH.

Trata-se, em resumo, de um novo método de construção de rede sob demanda. Lançado este ano no mercado, o EZ! Lux FTTH tem como foco atender à expansão das redes FTTH (Fiber To The Home) no país, que estão sendo implantadas tanto por grandes quanto por pequenas operadoras – no último exercício fiscal da Furukawa no Brasil, os provedores regionais superaram pela primeira vez as grandes operadoras em participação nas vendas. Segundo projeções do IDATE (Institut de L’Audiovisuel et des Télécommunications en Europe) para o Brasil, nos próximos quatro anos, o número de casas conectadas por fibra pode passar dos três milhões atuais para algo próximo de nove milhões de acessos em 2022.

Entre as vantagens da solução desenhada pela Furukawa, Rodrigo Arenales Arantes, chefe de Engenharia de Aplicações da empresa, destaca o fato de o operador poder ir ampliando a rede à medida que conquista mais assinantes – por isso, construção sob demanda –, e de os produtos saírem de fábrica pré-conectorizados, o que dispensa manutenção na ativação e mão de obra especializada. Resumo da ópera: “o produto permite economizar 70% em relação aos gastos na construção total de uma rede convencional”, diz Arenales.

O EZ! Lux FTTH, composto de caixa de distribuição e de acesso e respectivos cabos pré-conectorizados, foi criado para responder a algumas questões importantes para a expansão das redes FTTH. Por exemplo, como alcançar o maior potencial de assinantes sem necessidade de investimento total na rede óptica e, ao mesmo tempo, garantir a possibilidade de atendimento e economizar gastos na operação ou na construção de outras redes? Como construir mais rapidamente e diminuir custos de mão de obra?

Na avaliação da Furukawa Electric LatAm, a alternativa é adotar um modelo de topologia FTTH tipo estrela, na qual a caixa de distribuição é instalada no centro da célula de atendimento (64 ou 128 assinantes). Nesse conceito, a caixa de acesso é totalmente pré-conectorizada, e a interligação entre as duas é feita por um cabo especial (também pré-conectorizado), de fácil manuseio e instalação. Em resumo, trata-se de construir redes com sistemas pré-conectorizados desde a distribuição (não só no acesso) e um cabo de distribuição especial para interligação dos elementos da infraestrutura.

Na rede tipo estrela, a caixa de terminação óptica pré-conectorizada é posicionada no centro de uma célula de atendimento (referência de 64 assinantes), instalada com um splitter 1×8 de saídas pré-conectorizadas, colocadas no seu lado externo, e disponíveis para a futura expansão da rede. Dessa forma, de acordo com a fabricante, a rede é construída para garantir o atendimento de toda uma região, e o investimento na rede externa limita-se aos cabos troncais e caixas de distribuição, com apenas uma fusão para cada célula de atendimento (na entrada do
splitter de 1º nível).

Quando há demanda pelo serviço, a caixa de terminação CTOP-L8 é instalada. Totalmente selada, essa caixa se compõe, internamente, de um splitter 1×8, de dimensões reduzidas, com entrada e saídas pré-conectorizadas. Por isso, não exige qualquer tipo de montagem em campo. Sua instalação se resume à fixação no local (poste, parede, cordoalha ou caixa subterrânea). A interconexão entre uma das saídas do splitter de distribuição com a entrada do
splitter de acesso é feita por um novo cabo especial pré-conectorizado, que suporta vãos de até 80 metros; cabo esse totalmente dielétrico, com diâmetro reduzido (3 mm), flexível e de alta resistência à abrasão. Operando em um dos primeiros clientes, a CTOP-L8 tem capacidade para atender sete outros no entorno do local. O que possibilita o crescimento gradativo da rede, com o aumento do número de clientes.

“Nos produtos concorrentes existentes no mercado, a instalação dos cabos de distribuição é mais complexa, os cabos são menos robustos e envolvem maior dificuldade de manuseio”, destaca a fabricante. Para o provedor de telecom, usar o EZ! Lux FTTH significa redução de investimento, já que a demanda de assinantes é muito imprevisível, pondera Arenales. Segundo a Furukawa, esse método de construção de rede sob demanda reúne três ingredientes fundamentais: facilidade e rapidez na instalação e economia de mão de obra. Atualmente, os cabos pré-conectorizados são utilizados apenas por grandes operadoras de banda larga fixa e somente para o acesso final dos assinantes.

Na produção do EZ! Lux FTTH, a Furukawa enfrentou inúmeros desafios tecnológicos. Entre eles, estimular a sua instalação em novos mercados e crescer em direção à construção de uma rede FTTH para a rede de distribuição. Outro desafio foi desenvolver itens como caixas e acessórios otimizados para o produto, além de um cabo especial para toda a interconexão da rede.

Anterior WBT: Conexão gerenciada nas salas de aula
Próximos Trópico: Solução desenhada para o agronegócio

Sem comentários

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *