Furukawa lança primeiros equipamentos ópticos após compra de tecnologias da AsGa


fibra óptica ztt solverdeA Furukawa lançou duas linhas de equipamentos ópticos neste semana. O produtos são resultantes da aquisição das tecnologias e do portfólio da AsGa, de Paulínia (SP), ocorrida no ano passado. Uma delas é a linha LightDrive, formada por soluções de acesso óptico com tecnologia GPON (Gigabit Passive Optical Network) e destinada, principalmente, ao mercado de provedores de serviços de internet (ISPs) – e também para operadoras, governo e utilities. O outro lançamento consiste nos primeiros equipamentos ópticos WDM (Wavelength Division Multiplexing) fabricados e comercializados pela Furukawa no Brasil.

“Essa nova linha WDM é voltada para operadoras que atuam como carrier to carrier, utilities e provedores de serviços que precisam otimizar suas redes de fibra óptica, ampliando a capacidade de banda para atender maior número de usuários com a mesma fibra”, explica Sergio Scarpin, gerente de Desenvolvimento de Produtos e Sistemas da Furukawa. “São soluções bastante compactas, com ótima relação custo-benefício e operação e manutenção mais simples, em relação a outros produtos do mercado”, acrescenta.

Os equipamentos podem ser configurados para oferecer de 4 a 40 canais de 10 Gbits/s (cada um). A solução é completa e inclui amplificadores e pré-amplificadores ópticos, multiplexadores, transponder, OADM (Optical Add-Drop Multiplexer), chave óptica, corretor de dispersão cromática e, ainda, gerência de rede. Produzidos no país, com tecnologia nacional, os novos equipamentos têm suporte local, PPB (Processo Produtivo Básico) e podem ser adquiridos por intermédio de várias fontes de financiamento – entre eles, o BNDES Finame.

LightDrive, para ISPs
A linha de soluções de acesso óptico LightDrive foca os provedores de internet. Produzida no Brasil (em Santa Rita do Sapucaí), com tecnologia nacional, a linha LightDrive oferece uma plataforma GPON que atende tanto o mercado residencial como o corporativo.

A diferença entre uma solução e outra está no terminal de acesso do assinante (ONT). Para o mercado corporativo, por exemplo, a linha LightDrive dispõe de um modelo de terminal que se conecta diretamente a equipamentos PABX (conectividade E1). Para residências, oferece terminais Bridge ou com roteador Wi-FI e de voz (conexão com telefonia). Já o equipamento concentrador de assinantes (OLT), que é instalado na central da operadora, é escalável, podendo ser configurado em soluções a partir de oito portas. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Ericsson se reestrutura na América Latina
Próximos Número de acessos 4G triplicou em seis meses