Furukawa diversifica para continuar crescendo


Para manter o ritmo, a empresa, única da área de cabeamento que tem planta no país (em Curitiba), entrou em um novo segmento de mercado, o de data centers (DCs) em fins do ano passado, com uma linha específica para atender a necessidades de clientes que demandam concentração de cabos, de espaço e de redes …

Para manter o ritmo, a empresa, única da área de cabeamento que tem planta no país (em Curitiba), entrou em um novo segmento de mercado, o de data centers (DCs) em fins do ano passado, com uma linha específica para atender a necessidades de clientes que demandam concentração de cabos, de espaço e de redes internas. Antes, explica o presidente Foad Shaikhzadeh, os produtos Furukawa de cabling se destinavam a escritórios e indústrias para os quais a concentração não é problema.

“Nos DCs, além da falta de espaço, segurança é um elemento fundamental porque essas centrais abrigam o coração dos negócios de seus clientes. Se caem, caem as operações dos clientes”, diz o executivo ao Tele.Síntese. Habitualmente, acrescenta ele, os patch panels (painéis onde são conectados os equipamentos com a rede interna) têm 24 posições, mas os destinados aos DCs vêm com 48, isto é, com maior compactação de cabos, o que facilita o manuseio, pelo lado mecânico, e garante menos interferência e maior segurança dos próprios cabos, pelo lado elétrico.

Segmento promissor

Made na cidade industrial de Curitiba, a linha Furukawa para DCs já está sendo exportada para o Chile e a Argentina. Essa linha, contudo, diz Shaikhzadeh, também serve a outra clientela, como operadoras de telecomunicações e, no país, uma celular foi dos primeiros usuários desse cabeamento. O executivo estima que o mercado para essa linha deve ser da ordem de R$ 120 milhões a R$ 130 milhões anuais.

E, para a empresa, promete: deve responder por 20% do faturamento da sua área de cabling, a qual, por seu lado, gera cerca de 40% da receita da companhia. Em números de 2006: a Furukawa apurou receita bruta de R$ 330 milhões (+25% sobre o ano anterior), dos quais R$ 132 milhões em cabling.

Segundo Shaikhzadeh, a Furukawa tem participação de 40% no mercado brasileiro de cabling normal, e ampliou a linha de produtos para aumentar sua participação. A primeira experiência em campo da nova linha foi em outubro do ano passado; hoje, ela já responde por 20% do faturamento, e a demanda pelo produto cresce rapidamente.

Anterior Convergência fixo-móvel pode causar perdas às operadoras
Próximos Oracle AL tem nova unidade de CRM