Furlan defende imposto zero para banda larga no Brasil


De acordo com o ex-ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Luiz Fernando Furlan, o governo deveria baixar radicalmente ou zerar o imposto sobre a banda larga no Brasil. “A banda larga é ligada concretamente a educação, à informação e é um absurdo que o Brasil tribute com 40% o acesso à internet e a banda larga. Banda larga deveria ter  imposto zero porque quanto mais gente estiver informação e estudo usando a internet, mais rápido o Brasil vai se tornar competitivo”, diz Furlan.

 

Em entrevista concedida após evento promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o ex-ministro disse ainda que é preciso pensar na agenda da inovação como um dos pilares fundamentais para aumentar a competitividade brasileira. “E através da inovação e com aumento da competitividade que as empresas vão poder enfrentar o mercado mundial numa conjuntura de aumentos de custos e com o tipo de cambio que nós temos hoje”, destaca. Segundo ele, o Brasil precisa reduzir o custo com burocracia, carga carga tributária e melhorar a infraestrutura para evitar que a mão de obra acabe ficando mais cara que mão de obra estrangeira em alguns setores.

Conforme Furlan, o governo tenta minimizar o afluxo especulativo de capitais no país, embora os resultados utilizados até o momento não sejam os esperados. Ainda assim, os setores da indústria não precisam se preocupar com risco de indexação ou com a inflação. “ A inflação é um fenômeno ocasional, não apenas a economia brasileira. Talvez aqui tenha alguma peculiaridade, mas é um problema geral que afeta países da União Europeia e também da própria China”, diz.

Anterior Dilma substitui Abranet pelo SindiTelebrasil no conselho consultivo da Anatel
Próximos STF derruba cobrança do ICMS do Piauí por compras na internet