Fundo garantidor para pequenos provedores terá R$ 30 milhões


Abrint-7isp-02O Ministério das Comunicações (MiniCom) detalhou hoje (2), em São Paulo, o funcionamento do fundo garantidor que vai permitir a provedores de pequeno e médio porte fibrar 1,2 mil municípios. De acordo com Artur Coimbra, diretor de banda larga do ministério, o fundo deve ser criado em outubro. A data não é definitiva. O governo ainda tem de mandar o projeto de lei que cria o fundo ao Congresso e esperar sua aprovação.

O fundo garantirá até 80% dos valores tomados em empréstimo, seja por meio do Finame, seja pelo BNDES Automático. Cada provedor poderá tomar no máximo R$ 3 milhões. O valor total do fundo, inicialmente, será de R$ 30 milhões. Coimbra ressalta, porém, que o valor pode ser alavancado, o que deve multiplicar a capacidade de empréstimos. Além disso, se a iniciativa for bem-sucedida, a intenção do MiniCom é ampliar o fundo a até R$ 300 milhões. O administrador do fundo deve ser um banco comercial. Segundo Coimbra, provavelmente será o Banco do Brasil.

A participação central dos pequenos provedores foi anunciada ontem pelo secretário de Telecomunicações, Maximiliano Martinhão. Levantamento da Abrint mostra que os pequenos provedores seriam capazes de fibrar 1.284 cidades, em seu perímetro urbano, de forma viável, ou seja, obtendo pleno retorno sobre o investimento.

Coimbra participou da sétima edição do ISP, encontro nacional dos provedores associados à Abrint, que acontece até amanhã (3), em São Paulo.

Anterior Preço de referência de postes está longe de ser praticado
Próximos Conversor de TV digital só com interatividade local sem modem para internet, diz Anatel.