Fundo do audiovisual gastará este ano R$ 748 milhões do imposto de telecom


(Crédito: Shutterstock/Eleana)
(Crédito: Shutterstock/Eleana)

O Comitê Gestor do Fundo Setorial do Audiovisual aprovou o Plano Anual de Investimento de 2017.O valor aprovado soma R$ 748,75 milhões.

O plano  traz quatro novidades principais a serem implementadas. Foram aprovados recursos para preservação digital de obras audiovisuais a ser executada pela Cinemateca Brasileira e pela secretaria do Audiovisual. Foi prevista também uma nova linha de crédito descentralizada destinada à construção e modernização de salas de cinema, que deve focalizar especialmente as operações de pequenos e médios exibidores. Também dirigida aos pequenos exibidores e à visibilidade dos filmes brasileiros, foi definida uma ação financeira de estímulo a diversidade nos cinemas. E, finalmente, será lançada uma chamada específica para a coprodução internacional para televisão.

Algumas das linhas tiveram valores ampliados. Os destaques são o sistema de suporte automático e a produção de longas-metragens. A linha de suporte automático baseada no desempenho comercial das empresas foi elevada de R$80 milhões para R$100 milhões. E a de desempenho artístico foi duplicada para R$20 milhões, repercutindo o prestígio e o forte movimento de inserção internacional das obras brasileiras no último ano. Já as diversas linhas com investimentos específicos em produção de longas terão garantidos R$180 milhões no próximo período, com destaque para a ampliação do valor destinado à produção de filmes de linguagem inovadora e relevância artística (PRODECINE 5) de R$30 milhões para R$40 milhões.

Esses e outros investimentos do FSA têm como regra geral destinar ao menos 30% dos recursos para projetos das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, conforme determina a Lei 12.485, o marco legal da TV por assinatura. Também reserva o investimento mínimo de 10% dos recursos a projetos do Sul, Minas Gerais e Espírito Santo. (assessoria de imprensa)

 

Anterior Agência pretende só acompanhar dificuldades da Nextel
Próximos Ministro vai aprovar mudança no cronograma da TV digital