Fundo Digital Colony compra data centers da UOL Diveo


O fundo norte-americano Digital Colony, dedicado a negócios em infraestrutura digital, comprou os data centers da unidade de TI do grupo Uol, a Uol Diveo. A aquisição significa a entrada do fundo no mercado de centros de dados do Brasil. Até então, a empresa era dona de torres de telefonia móvel apenas.

As empresas não revelaram valores. Conforme o jornal Valor Econômico, a transação pode ter chegado a R$ 1,5 bilhão. O resultado da compra é a criação de uma nova empresa do segmento no país chamada Scala Data Centers, que será comandada pelo sócio do Digital Colony, Marcos Peigo.

PUBLICIDADE

O plano da nova empresa é crescer no mercado doméstico e latino-americano, tanto de modo orgânico, como através de novas aquisições. Os investidores da empresa vêem potencial principalmente no Brasil, detentor da nona maior economia do planeta, e que é considerado por eles ainda “sub-atendido” em termos de infraestrutura de data centers.

Seus cálculos apontam que a demanda seguirá em ascensão devido à migração de mais empresas para a nuvem, terceirizações no setor de TI e adoção da 5G. “A Digital Colony enxerga na região uma indústria de infraestrutura digital e data centers com oportunidades multibilionárias”, diz o fundo, em comunicado.

Negócios recentes

Essa transação se segue à recente aquisição da Zayo Group Holdings, fechada em março de 2020 por US$14,3 bilhões, assim como a expansão europeia da Vantage Data Centers por meio da aquisição da Next Generation Data.

A Scala é o segundo investimento da Digital Colony no Brasil e o quarto na América Latina. Anteriormente, a empresa adquiriu a Highline do Brasil em 2019, a Andean Telecom Partners em 2017 e a Mexico Towers Partners em 2013, por meio de sua afiliada Digital Bridge.

Marcos Peigo foi vice-presidente de value creation da IBM para a América Latina, diretor-executivo e COO na UOL Diveo, fundador e CEO da Lemniscata Ventures, assessoria e investimentos focada em empresas de TI, e CEO da Solvo S/A, empresa de serviços gerenciados.

A venda dos ativos de data center não significa a saída do UOL Diveo do mercado. A empresa seguirá provendo serviços de infraestrutura, agora baseados em parceria com a Scala.

Anterior Governo inclui telecom em programa de retomada da economia
Próximos Justiça nega suspensão do contrato entre governo de SP e empresas de telefonia móvel