FTPI Digital compra a boo-box


A FTPI Digital, companhia que comercializa mídia em sites verticais, como Spotify, Jovem Nerd, Catraca Livre, Sensacionalista e Brainstorm9, comprou a boo-box, empresa de tecnologia para publicidade e mídias sociais. O valor da operação não foi divulgado.

Segundo comunicado de ambas, “a compra concretiza a sinergia que já existia entre as empresas, que, com a união, passam a oferecer uma oferta ainda mais completa de conteúdos premium da FTPI e a tecnologia, alcance e formatos exclusivos da publicidade desenvolvidos pela boo-box”.

O acordo prevê a continuidade da marca. “Vamos permanecer oferecendo todos os serviços de ambas as empresas, investir na ampliação e queremos agregar novos produtos ao portfólio. Desde já, a boo-box passa a cuidar da plataforma de mídia programática da FTPI Digital. E temos planos de levar essa tecnologia também para o meio offline. A FTPI, que deu origem à FTPI Digital, é líder no mercado de rádio e mídia regional e vamos começar a explorar imediatamente as possibilidades nessa área”, diz Guga Mafra, sócio da FTPI Digital.

As negociações, com ritmo mais forte nos últimos três meses, foram facilitadas pela parceria iniciada há três anos da boo-box com a FTPI Digital que era, inclusive, representante comercial da empresa em várias praças pelo Brasil. A boo-box foi fundada em 2007 tendo como foco a publicidade em blogs e redes sociais. Distribui publicidade por uma rede de mais de 700 mil sites, que atinge 63 milhões de usuários no Brasil.

“Ajudamos o conteúdo independente no Brasil a se tornar mais profissional, com alta reputação, além de criar cases, inclusive contando com 2 Leões no Festival de Cannes. Acreditamos que a boo-box é protagonista nessa evolução. Atualmente apoiamos o crescimento de mais de 700 mil sites, distribuindo milhões de reais por ano para dezenas de milhares de produtores de conteúdo independente”, afirma Marco Gomes, que fundou a empresa aos 21 anos, após receber capital de US$ 300 mil da Monashees Capital, hoje Monashees+, – posteriormente, em 2010, a empresa recebeu investimento Series A da Intel.

A venda da boo-box ocorre em um momento de crescimento da empresa e se deve ao desejo de Gomes de tocar um novo desafio, o Mova Mais, recém-criada startup com programa de benefícios para praticantes de atividades físicas. “Eu considero a boo-box uma missão cumprida pra mim, mas a empresa continua mais forte que nunca com os novos controladores. A negociação da empresa é a consequência de um trabalho bem feito. Criação, crescimento, consolidação e venda são partes da história das melhores startups de tecnologia”, finaliza Gomes. (Com assessoria de imprensa)

Anterior TV paga chegará a 27,7 milhões de residências no Brasil em 2018, diz pesquisa
Próximos Standard & Poor’s mantém rating da Algar Telecom