Foxconn para produção de iPhone pela segunda vez por protesto de trabalhadores


A Foxconn que emprega mais de um milhão de trabalhadores na China, tem sofrido, nos últimos três anos, com greves, motins e suicídios por parte dos trabalhadores que acusam a empresa de submeter os colaboradores a enorme pressão.

 

Na última sexta-feira, dia 5, a fábrica paralisou novamente a produção do iPhone depois de incidentes entre a equipe de produção e de design, que levou 4 mil trabalhadores a abandonar seus postos de trabalho.

Anterior Suprema corte mexicana vai analisar recurso da Telmex contra governo
Próximos Para Congresso americano, Huawei ameaça segurança nacional